Sobreviver aos primeiros anos de vida é um dos maiores desafios dos empresários. Contas a pagar e a receber que não fecham, inseguranças sobre o futuro, falta de experiência no mercado, dentre outras questões sempre estão na lista de preocupações dos empreendedores.

Nos primeiros anos de vida, então, a atenção à gestão do negócio deve ser redobrada. Isso porque, no Brasil, estatísticas do IBGE apontam que em média 24% das empresas fecham as portas logo no primeiro ano de atuação. Este percentual sobre para cerca de 48% para empreendimentos com até 3 anos de vida.

Muito esforço, planejamento e dedicação são necessários para não integrar este volumoso percentual. Para que a sua empresa não faça parte destes dados, selecionamos algumas dicas valiosas para que o seu negócio consiga driblar as barreiras e sobreviver aos primeiros anos de vida. Confira!

Planejamento financeiro é fundamental

O fluxo de caixa é uma eficiente ferramenta não apenas para o controle dos gastos, mas também para a tomada de decisão. Com ele sua empresa consegue avaliar a saúde financeira atual e realizar projeções para os próximos períodos de atuação, o que facilita consideravelmente reestruturações estratégicas.

Por isso, é fundamental que você tenha processos financeiros preestabelecidos e os acompanhe através do seu fluxo de caixa evitando, assim, surpresas desagradáveis em relação à verba disponível e consiga direcionar seus investimentos para áreas deficientes.

Não extrapole sua capacidade financeira

Para crescer é necessário investir. Porém, antes de tudo, é fundamental que sua empresa respeite a capacidade financeira atual. Por isso, antes de tomar a decisão sobre onde e como investir, analise a realidade das finanças do seu negócio. Verifique como os gastos podem ser cortados para remanejar a verba e, em último caso, recorra a um empréstimo ou a uma nova rodada de capital.

Avalie a precificação definida para os seus produtos e serviços

Produtos ou serviços com preço elevado podem prejudicar suas vendas, principalmente se ainda não há uma marca constituída para uma maior percepção de valor pelo seu público-alvo. Cobrar valores consideravelmente inferiores, mesmo que não prejudique as finanças de sua empresa, também não é das melhores alternativas, já que seu potencial cliente pode acabar associando o baixo custo a uma menor qualidade ou eficiência.

Por isso, é fundamental avaliar não apenas os fatores de produção ou operação, mas também o mercado de atuação. Desta forma você conseguirá definir um preço justo e construir uma empresa de sucesso.

Esteja atento à concorrência

É preciso acompanhar o seu mercado, mas não apenas as necessidades de seus clientes. Fique de olho em seus concorrentes: o que eles tem feito, quanto tem cobrado, quais os diferenciais que oferecem, como funciona o processo produtivo e questões relacionadas. Quando você está atento ao que vem ocorrendo no mercado, consegue uma postura ativa de inovação, deixando de lado uma posição reativa e, consequentemente, a perda de uma fatia do seu mercado.

Busque constante capacitação

É necessário ter uma equipe altamente capacitada para realizar um trabalho de qualidade e, assim, atrair e reter clientes. Por isso, invista em treinamentos para os seus colaboradores garantindo um nível avançado de conhecimento para operar, produzir, inovar, atender, vender, reestruturar processos e até mesmo reduzir custos – que pode vir com o simples fato de não mais ser necessário o retrabalho.

E sua empresa, já está preparada para enfrentar as necessidades do dia a dia e planejar um crescimento sustentável? Conhece alguma outra dica fundamental para driblar as dificuldades e fazer com que o negócio supere os primeiros anos de atuação? Compartilhe-as conosco através dos comentários!

Se você tiver dúvidas sobre como fazer um bom planejamento e acompanhamento financeiro para sobreviver aos primeiros anos de vida, nós criamos um espaço de tira dúvidas gratuito. Faça sua pergunta aqui.

Cristiano Freitas
Equipe Syhus

[contact-form-7 404 "Not Found"]

Comentários