Antes de abrir sua startup, certamente você está com uma grande ideia na cabeça e em busca de uma forma para viabilizar o planejamento que a colocará em prática. Neste momento, alguns empreendedores imaginam que contar com a ajuda de contadores profissionais é um luxo desnecessário – ledo engano!

Os empreendedores costumam ter prazer em desenvolver produtos ou serviços que irão revolucionar a vida das pessoas, mas ninguém quer gastar tempo ou investir na contratação de um profissional especializado para lidar com faturamento fiscal, por exemplo. Entretanto, não se pode esquecer que a contabilidade é uma função em cascata: se você não começar de maneira correta, poderá chegar a um ponto que não terá mais o próximo mês para consertar.

 

Muitos pensam que o trabalho se trata apenas de preencher formulários e pagar impostos. Contudo, a contabilidade vai além, auxiliando empresas a reduzirem perdas e ampliarem a lucratividade. Por isso, o texto de hoje vai te ajudar a não cometer os mesmos pecados que levaram diversos empreendedores a interromper potenciais projetos de sucesso. Descubra agora cinco maiores erros contábeis ao abrir uma startup:

1- Unificar bens pessoais e ativos da empresa

Antes de dar o primeiro passo, é fundamental ter em mente que os bens pessoais não poderão se misturar com os ativos da empresa. Muitas startups, principalmente de TI, começarão a dar lucro antes do tempo normal da maioria das empresas. Isto pode passar a falsa impressão de que você já pode colher os frutos, sem se preocupar em dar uma estabilidade maior ao seu negócio.

 

Nestes casos, mais comuns nas empresas que optam pelo Simples Nacional ou no Lucro Presumido, os empreendedores misturam os pagamentos de gastos pessoas com as obrigações da empresa. O INSS pode interpretar isto como uma forma de remuneração indireta da diretoria, o que vai acarretar em 20% de contribuição, além do valor ser incluído no seu Imposto de Renda de Pessoa Física.

2- Desconhecer a diferença entre faturamento alto e lucro real

Quando desenvolvemos e implantamos um sistema ou um modelo de negócios, devemos pensar também nos gastos que virão depois, como de manutenção ou investimentos para expansão, por exemplo. O que queremos dizer com isso é que se os custos fixos e variáveis forem altos, ainda que seu faturamento também seja, seu lucro não será significante. Em outras palavras: o lucro real é diferente do lucro presumido.

 

Para mensurar isto com segurança, é necessário ter definido um fluxo de atualização das demonstrações financeiras antes mesmo de abrimos as portas do nosso negócio. Estes demonstrativos serão uma ótima ferramenta para auxiliar nas futuras tomadas de decisões e evitar equívocos com operações de alto valor.

3- Acreditar que o Simples Nacional é a melhor opção para o negócio

Nem sempre ser enquadrado no Simples Nacional significa pagar a menor carga tributária. É preciso analisar cada caso para decidir qual a melhor opção de tributação para a sua startup.

 

Algumas empresas, e até contadores, indicam o Simples Nacional por ser menos trabalhoso. No caso dos empreendedores, a opção leva em conta a facilidade na apuração contábil. Entretanto, é válido ressaltar que você poderá pagar mais por esta facilidade. Por isso, se você não domina contabilidade, é importante ter o auxílio profissional especializado para evitar gastos com encargos desnecessários.

4- Usar um modelo padrão de contrato social

O contrato social, em resumo, é um documento que estabelece normas de relacionamento entre os sócios e a sociedade em si. É uma falha comum imaginar que não se deve gastar tempo com seus pormenores. Em muitos casos, empolgados para acelerar a abertura do negócio, os empreendedores acabam utilizando modelos padrões de contratos sociais para priorizar a agilidade nos registros, o que pode gerar problemas mais a diante.

 

No futuro, algumas das cláusulas que foram assinadas, sem o devido cuidado, podem trazer implicações, não apenas entre os próprios sócios e seus herdeiros, como também perante terceiros.

5- Iniciar informalmente

É natural que surjam dúvidas, principalmente para os empreendedores da área de tecnologia, em relação a alguns impostos. Como se tratam de novos mercados, normalmente as questões legais também estarão em fase de consolidação. No entanto, ignorar a legislação certamente trará problemas fiscais e prejudicará operações futuras.

 

Não deixe para regularizar seus registros somente quando a empresa decolar. Isto pode interferir, inclusive, na captação de investimentos.

 

Evitar erros contábeis, principalmente os mais comuns, é fundamental para garantir não apenas o sucesso do empreendimento, como também servir de base para a abertura de novas portas. A contratação de contadores especializados deixará o empreendedor livre para supervisionar os apontamentos e se dedicar ao crescimento da empresa.

 

E você, gostaria de saber mais sobre a abertura de sua startup? A Syhus disponibilizou gratuitamente o e-book Como Iniciar e Registrar sua Startup para download.
Se você tiver dúvidas sobre alguns erros de contabilidade ou outras questões contábeis, nós criamos um espaço de tira dúvidas gratuito. Faça sua pergunta aqui.

 

Cristiano Freitas
Equipe Syhus

 

[contact-form-7 404 "Not Found"]

Comentários