O MEI no exercício de suas atividades possui os benefícios de não ter a obrigação de contratar uma contabilidade e nem a de escriturar nenhum livro. Contudo, isso não significa que ele não tenha que fazer a organização e controle de sua gestão financeira.

No artigo de hoje, falaremos mais sobre esse assunto, esclarecendo como o MEI pode organizar sua empresa. Quer saber como o MEI deve fazer sua gestão financeira? Continue acompanhando e confira agora mesmo!

Controle de fluxo de caixa

Quando falamos em gestão financeira, uma das primeiras coisas que vêm a cabeça é o controle do fluxo de caixa. Pois é ele quem permite uma visualização mais eficiente de todas as entradas e saídas dos recursos financeiros que a empresa possui, apontando como será o saldo do caixa em determinado período. Ou seja, é por meio dele que as empresas controlam todo o dinheiro que entra e que sai e se o caixa terá um saldo positivo ou negativo.

O fluxo de caixa pode ser controlado em planilhas, criadas pelo próprio empreendedor, ou em aplicativos e softwares disponíveis no mercado.

Controle de receitas e despesas

Esse controle é parte principal na análise do fluxo de caixa. Por meio do controle de receitas e despesas, é possível identificar justamente a quantidade de dinheiro que entra e que sai do caixa da empresa em determinado período.

Receita é tudo aquilo que a empresa recebe em decorrência da venda de um produto ou prestação de um serviço. Logo, as receitas representam a entrada de dinheiro no caixa da empresa em determinado período. Por outro lado, para que a empresa tenha condições de vender seus produtos ou prestar seus serviços, ela precisa dispor de recursos — que são utilizados para a compra de matéria prima, das mercadorias, ou de material utilizado na prestação do serviço. Isso sem contar conta de luz, conta de água, salário do funcionário, entre outras coisas. Todos os gastos que a empresa possui para se manter funcionando são considerados despesas.

Para garantir a saúde financeira e a sobrevivência do negócio, o ideal é que as receitas sejam sempre superiores às despesas. Caso contrário, o MEI pode não conseguir arcar com seus compromissos e acabe sucumbindo.

Controle de contas a pagar e a receber

Para um controle bem eficaz de receitas e despesas, o ideal é que o MEI faça um controle detalhado de todas as contas a pagar e das contas a receber. O conceito disso está intimamente ligado à ideia das despesas e receitas.

Contas a receber é o dinheiro que a empresa ainda receberá de seus clientes, que se converterá em receitas quando estiver no caixa da empresa. Já as contas a pagar são os compromissos que o MEI precisa arcar com pagamento de fornecedores, salário etc. Quando essas contas forem pagas, elas se tornam despesas no fluxo de caixa da empresa.

Com esse controle, além do acompanhamento de todas as entradas e saídas de recursos da empresa, é possível acompanhar quais são as ocorrências em períodos futuros.

Afinal, como o MEI deve fazer sua gestão financeira?

Por não possuir obrigações previstas em lei, cada MEI faz a sua gestão financeira da forma como acha mais adequado. No entanto, o ideal é que haja um controle bem rigoroso de tudo que é feito com o dinheiro da empresa, visto que isso contribui para a sobrevivência do negócio e ainda auxilia na identificação de problemas e na tomada de decisão.

Muitas vezes, o MEI acredita que precisa fazer empréstimos para garantir suas atividades, quando, na verdade, uma melhor organização das finanças, redução de custos e uma precificação mais adequada é o suficiente para garantir melhores resultados.

E então, foi esclarecida a questão de como o MEI deve fazer sua gestão financeira? Comente com suas opiniões e dúvidas e conte conosco para poder saná-las!

Para saber mais sobre gestão financeira, baixe gratuitamente o Ebook Planejamento Financeiro para Micro e Pequenas Empresas.

Comentários