Um microempreendedor individual gerencia valores “limitados” e é, justamente, o faturamento anual que caracteriza sua natureza tributária. Eles podem faturar até R$ 60 mil anuais, ou R$ 5 mil mensais. Não podem ser sócios em outra empresa e têm direito a apenas um funcionário, que receberá no máximo um salário-mínimo, ou o piso da sua respectiva categoria. Mesmo possuindo um teto orçamentário, a gestão financeira para MEI (Microempreendedor Individual) é tão importante, quanto para as empresas de grande porte.

Sendo assim, um MEI também precisa se cercar de boas práticas de gestão financeira para administrar bem os seus recursos, como a gestão por resultado, que difere da gestão habitual das empresas focadas em processos. Isso porque a gestão do tempo para um MEI é muito diferente da realizada em uma empresa com diversos setores e funcionários. Nesse post, listaremos algumas práticas que podem auxiliar o MEI na busca por segurança financeira. Vamos conhecer as ideias?

Gestão de Resultados (o que não é medido não pode ser melhorado)

Como mencionamos acima, é muito comum que os microempreendedores individuais adotem a gestão por resultados na condução de seu negócio. Esse modelo de administração de empresas exige bastante comprometimento. Nele, não interessa o número de horas trabalhadas, isto é, ninguém cumpre uma jornada de trabalho apenas por obrigação. Na gestão por resultados, o que importa é a dedicação para entregar tarefas e cumprir metas. Todas as avaliações de desempenho consideram essa fórmula e ela deve ser medida a fim de ser otimizada.

Gestão Financeira desde o primeiro dia de Operação

Desde a abertura do negócio o MEI deve se dedicar a gestão financeira. Por trabalhar com recursos limitados, é necessário fazer um orçamento condizente com sua realidade, que o ajude a controlar os gastos. Somente dessa maneira será possível observar a eventual trajetória de crescimento da empresa e fazer projeções. A gestão financeira contínua também vai revelar quais são os gastos excessivos, que emperram o crescimento e demandam redução.

Obrigações tributárias

Apesar de ser isento de tributações como PIS e Cofins, um MEI possui suas obrigações tributárias. Observe bem o prazo dos pagamentos e lembre-se que em fevereiro deste ano, os valores foram reajustados. Além das contribuições mensais, todo ano o microempreendedor individual deve fazer a declaração do valor que faturou no ano anterior. Para tanto, ele tem até o último dia do mês de maio para acessar o Portal do Empreendedor e procurar a Declaração Anual do Simples Nacional (DASN).

Relatórios de receita

O relatório mensal de receitas deve ser preenchido até o dia 20 de todo mês. Nessa tarefa, o MEI deve ainda anexar as notas fiscais dos produtos comprados e dos serviços do mês, assim como as notas fiscais que emitiu. Mais do que simplesmente cumprir essa obrigação, procure analisar os valores que estão sendo movimentados. Observe bem a destinação dos recursos para criar a possibilidade de fazer economias.

Reservas Financeiras

As reservas são essenciais nos momentos de tormenta financeira, que podem ser causadas por diversos fatores internos e externos. Independentemente dos maus momentos, uma empresa precisa poupar recursos, desde o início. Eles podem ser úteis para investimentos e outras formas de crescimento do seu negócio.

Empréstimos

Uma empresa que recorre a empréstimos pode estar experimentando um veneno perigoso. É claro que determinadas situações, como a compra de maquinário, exigirão uma atitude como essa. Mas, antes de recorrer ao empréstimo, avalie se não há outra forma de obter os recursos e se não pode esperar um momento de maior vigor financeiro.

Outro erro que não pode ser cometido é contar com dinheiro que ainda não entrou. Não se comprometa a pagar o que ainda não recebeu. O bê-a-bá das empresas vale, e muito, nesse caso: não gaste mais do que ganha.

Analisar concorrentes ou empresas de maior porte (busca de melhores práticas)

Assim como as empresas de maior porte precisam estar de olho aberto na concorrência, um MEI precisa observar as empresas já consolidadas no mercado, mesmo aquelas que não são potenciais concorrentes. Isso porque poderá encontrar melhores práticas de gestão financeira que vêm dando certo e incorporá-las na empresa. Além disso, as tendências do mercado e do seu ramo de atividade também podem ser descobertas nesse tipo de análise.

Quer saber mais sobre como um MEI pode fazer uma gestão financeira, garantir competitividade e resultados? Leia o nosso artigo sobre planejamento financeiro, fluxo de caixa e budget.

Comentários