O diretor de finanças, também conhecido como CFO, ocupa uma posição importante dentro de qualquer organização empresária. Todavia, nos últimos anos, notou-se uma mudança significativa no perfil desses profissionais, que têm se reinventado e adaptado-se às novas exigências do mercado. Neste artigo, vamos falar sobre o perfil desse CFO do futuro.

O trabalho do CFO foi, por muito tempo, focado no controle de gastos, sendo responsável pelo planejamento e pelo controle das finanças da empresa. Entretanto, suas responsabilidades foram ampliando e o seu papel foi ocupando uma posição muito mais estratégica dentro do contexto organizacional.

Além de identificar quais são as características e habilidades mais importantes que serão exigidas pelas empresas, você vai entender como se adaptar a essa realidade, preparando sua formação profissional para as futuras exigências do mercado. Continue a leitura e confira!

1. Habilidade de gerenciamento de riscos

A capacidade de gerenciamento de riscos já é uma característica muito valorizada em CEOs. Isso porque ter a habilidade de compreender a existência de riscos e preparar o negócio para qualquer problema garante uma probabilidade maior de sucesso para a empresa.

Nesse sentido, o aumento da responsabilidade e da necessidade de planejamento, também por parte dos CFOs, torna inevitável o desenvolvimento das capacidades desses profissionais quanto ao gerenciamento de riscos.

O CFO precisa contribuir para o planejamento, atuando conjuntamente com o CEO, analisando os riscos e sabendo navegar sobre eles. Isso garantirá o fortalecimento do negócio e a manutenção saudável das atividades empresariais.

2. Domínio da tecnologia

Assim como todos os profissionais que buscam atualização constante, os CFOs devem se adaptar à tecnologia e às mudanças que elas geram dentro das organizações.

Dessa forma, o profissional deve ter capacidade de enxergar a empresa de forma global, avaliando frequentemente como o modelo de negócios pode ser ajustado às alternativas tecnológicas disponíveis.

A inovação e as novas ferramentas constantemente lançadas no mercado são desenvolvidas com o objetivo de facilitar o trabalho das empresas e trazer alto rendimento para os negócios. Entretanto, esse aproveitamento só existe se os agentes envolvidos nos processos internos tiverem a capacidade de enxergar esse potencial, sugerindo a aplicação dessas ferramentas no negócio.

Assim, o CFO deve saber como inserir a inovação e as novas ferramentas tecnológicas, gerenciando o risco e agregando benefícios práticos para o negócio.

3. Capacidade de gerir pessoas

O desenvolvimento da habilidade de gestão de pessoas é altamente relevante quando se ocupa uma posição de CFO e a tendência é que esse know-how seja cada dia mais exigido pelas empresas.

Influenciar pessoas, saber liderar e ter habilidade de negociação são características  altamente importantes para o CFO do futuro.

Quanto mais o profissional souber lidar com pessoas, tendo condições de compreender quem são os profissionais certos para o setor de finanças, melhor será o rendimento do departamento e, consequentemente, os seus resultados.

A capacidade de gerir relações humanas é uma das características mais importantes de qualquer profissional que atua em cargos de direção, já que ele deve sempre se posicionar com inteligência e estratégia.

A capacidade de saber negociar e saber conciliar divergências faz toda a diferença quando o assunto é resultado e rendimento. Muito embora essa competência não fosse tão exigida dos profissionais de finanças no passado, esse cenário tem mudado cada dia mais.

4. Talento para orientar decisões

Essa característica, que pode ser vista como uma extensão do desenvolvimento da liderança e da capacidade de gestão de pessoas, é a aptidão para orientar decisões.

O CFO do futuro precisa saber orientar decisões, especialmente em uma organização que tenha um ambiente de alta pressão e que exige ações rápidas.

O papel deste perfil de profissional será de saber orientar e representar a empresa, lutando para atingir os seus objetivos mesmo em situações de tensão.

Isso significa que esses CFOs devem ter a capacidade de medir o impacto das decisões dentro da organização, transmitido com inteligência os seus objetivos e sabendo distinguir o momento certo para a tomada de decisões.

5. Aptidão para estabelecer estratégias

O estrategista é um líder. O profissional com essas características sabe identificar as reais necessidades do negócio e suas possibilidades frente ao mercado, traçando um plano que vise a atingir o seu objetivo com eficiência.

As frequentes e recorrentes mudanças que têm ocorrido no mercado e nas organizações empresarias exigem dos profissionais a capacidade de saber lidar com as novas necessidades, atuando como verdadeiros estrategistas que buscam o desenvolvimento e a manutenção de seus negócios.

As empresas precisam estar internamente alinhadas, com todos os setores caminhando no mesmo sentido, só assim é possível obter resultados reais.

Em razão da alta complexidade e da crescente inserção de tecnologia nos processos produtivos, o papel desempenhado pelos profissionais também tem sofrido alterações importantes.

A dinâmica das ações e a quantidade crescente de informações que circulam no mercado geram a necessidade, cada vez mais imediata de aplicação de conhecimentos e de estratégias novas.

Os CFOs se destacam em estratégias focadas nas necessidades dos seus setores, tais como saber relacionar contextos externos de mercado com a realidade financeira interna do negócio e elaborar um planejamento estratégico, por exemplo.

6. Facilidade de adaptação

Ao longo deste artigo, muito se falou sobre as mudanças que têm ocorrido no mercado e a consequente necessidade de adaptação por parte dos profissionais como um todo — nesse caso, mais especificamente dos CFOs.

Tudo isso caminha no sentido de desenvolver a capacidade de adaptação desses profissionais. As mudanças exigem a necessidade de saber se ajustar às novas exigências e às necessidades da empresa.

Além disso, a capacidade de adaptação permite compreender até que ponto uma estratégia deve ser mantida ou em que momento se torna necessário mudar o seu rumo.

Certamente essa característica é uma vantagem para os jovens profissionais que costumam ser mais curiosos, adaptando-se com mais facilidade a novas situações. Entretanto, os mais velhos, que se destacam pela experiência, podem ter mais maturidade para saber lidar com as mudanças exigidas pelo mercado.

Muito embora a área de finanças lide com questões altamente objetivas, a necessidade de desenvolver características de liderança, gestão de pessoas, adaptação às mudanças, estrategismo e outras, é essencial para visualizar um futuro de sucesso e um destaque no mercado de finanças das grandes empresas.

Gostou deste artigo? Compartilhe-o nas redes sociais e ajude um profissional com potencial para se tornar um CFO do futuro a desenvolver suas habilidades!

Comentários