Para criar uma startup de sucesso, é importante ter uma boa ideia e atrair investimentos. Mas engana-se quem pensa que precisa apenas disso para empreender com êxito no ramo da inovação e tecnologia. O conhecimento de mercado, expertise e habilidade com a burocracia também são essenciais para que tudo dê certo.

Porém, dificilmente uma pessoa consegue ter tantas habilidades, certo? Mesmo que ela tenha um conhecimento técnico do produto bem aprofundado, a falta da vivência pode colocar muita coisa a perder. Por isso, algumas empresas têm recorrido às mentorias. O profissional escolhido como mentor tem conhecimento aprofundado no ramo do empreendimento e experiência com demais questões administrativas e comerciais.

Quer saber como achar o mentor ideal para startups? A gente vai falar sobre isso neste artigo. Boa leitura!

Quem são os mentores?

Podemos chamá-los de conselheiros, tutores ou mentores. São pessoas que possuem uma boa bagagem de experiência e conhecimento em um nicho específico do mercado. Em outras palavras, são diretores ou CEOs que dedicam um tempinho para contribuírem na construção da sua startup. São, necessariamente, pessoas que entendem de gestão de negócios.

Os mentores são muito importantes para ajudá-lo a acumular conhecimentos sobre assuntos que você ainda não domina, mas que são essenciais para qualquer empreendedor: economia, tributação, logística, administração, entre outros.

Não pense que se trata de um coaching. Apesar de ser importante que um mentor tenha essa habilidade, o foco aqui é desenvolver o negócio — diferentemente de um coaching, que tem foco no desenvolvimento individual de profissionais.

Quanto custa?

Algumas empresas pagam um percentual de sociedade, outras estabelecem um valor fixo. Essa questão fica em aberto para a melhor negociação entre ambos. Existem associações que oferecem o serviço sem custos, apenas com o objetivo de fomentar o mercado.

Como encontrar um bom mentor para startups?

Encontrar um mentor não deve ser a primeira ação após decidir montar um negócio. Há algumas atividades que precisam ser feitas antes que você possa procurar por um conselheiro que atenda às reais necessidades. Senão, corre-se o risco de fechar com um profissional cujas experiências e expectativas não estejam em harmonia com as suas — o que pode ser uma experiência frustrante para ambas as partes.

Por isso, temos três passos que devem ser seguidos para que você consiga encontrar o mentor ideal para o seu negócio.

Passo 1: elabore bem

O seu negócio precisa ser mais do que uma ideia. É preciso elaborar um plano de negócio que explique qual é o produto, seus objetivos, como será monetizado etc. O mesmo documento que será usado para convencer investidores-anjo a apostarem no seu negócio pode e deve ser usado para conquistar mentores. Lembre-se de que esses profissionais também precisam ser cativados pela sua startup.

Passo 2: aprenda mais

Como já citamos, o mentor vai ajudá-lo com as questões que apenas a boa experiência de mercado poderia proporcionar. É natural que você não a tenha — por isso você precisa de um mentor. No entanto, procure absorver ao máximo de conhecimento do seu ramo, dedique-se a desenvolver habilidades e a aprender com o mentor. Isso vai fazer bem para você e para o negócio, além de ser mais estimulante para ambas as partes.

Passo 3: procure nos locais certos

Os tutores podem ser pessoas do seu ciclo de convivência. Mas, se você não tiver essa sorte, corra atrás. Procure por pessoas que tenham esse perfil no mercado e arrisque um tempinho com elas. Aproveite qualquer oportunidade para se oferecer e apresentar o seu plano de negócio.

Quais são as características de um bom mentor?

Como acabamos de ver, é preciso se organizar para sair à procura de um tutor. Mas, se você ainda não sabe como identificar o perfil ideal de um possível mentor para a sua startup, fique de olho nas características que citaremos a seguir.

Expertise na sua área

Não adianta a pessoa ter um currículo todo voltado para a área de vendas e o seu negócio girar em torno de um produto da área da saúde, por exemplo. É claro que o conhecimento em vendas desse profissional iria ajudar muito! No entanto, o ideal é que ele fosse um expert em vendas na área da saúde.

Isso porque somente assim ele vai poder passar experiência adequada e contribuir de forma consistente na formação e inovação de processos, algo que foi moldado ao longo dos anos dentro da área específica em que ele conheceu todos os melindres desse mercado.

Conhecimento em contabilidade

É algo essencial. Independentemente do seu modelo de negócio, você vai precisar dos serviços contábeis para garantir a sua devida regularidade. O mentor vai servir como um orientador para que você entenda todas as obrigações fiscais e administrativas que envolvem a contabilidade do negócio. Essa ajuda pode ser útil até quando você se sentir seguro na hora de elaborar ou aprovar um planejamento tributário para sua startup.

Dessa forma, é possível garantir que está operando totalmente na legalidade, evitando sustos futuros. Com essa habilidade, o mentor pode, também, sugerir várias formas de otimização do administrativo, tendo em vista toda a sua experiência de negócio.

Boa experiência com startups

Procure saber se o mentor já participou da abertura de uma outra startup e se ela teve êxito. Ter uma pessoa que já obteve sucesso em um negócio semelhante ao seu colaborando com o seu time é essencial. Então, dê preferência para quem está pronto para aplicar as experiências e metodologias que já deram certo comprovadamente.

Disponibilidade

Não basta ser o expert no assunto, mas não ter disponibilidade de tempo para prestar a consultoria. Então, conheça a rotina e deixe suas expectativas bem claras quanto ao que você espera do seu mentor. O ideal é que o tutor tenha possibilidade de acompanhar pessoalmente situações estratégicas e tenha canais de comunicação acessíveis.

Credibilidade

A pessoa que vai prestar o serviço de mentoria deve ter credibilidade no mercado. Mas, nesse caso, precisamos salientar que há risco para ambas as partes. A responsabilidade de uma empresa que conta com esse apoio é maior. Isso porque, ao mesmo tempo em que contar com alguém de credibilidade é algo que agrega para a empresa, se a startup não der certo, há prejuízo para a reputação do mentor.

Então, priorize profissionais de credibilidade, mas não se esqueça de fazer a sua parte para que tudo dê certo sem prejuízos finais.

Outra questão muito importante, que não podemos deixar passar, é a necessidade de sua empresa estar pronta financeiramente para arcar com todos os custos iniciais, inclusive a contratação de um mentor. Isso engloba organizar e planejar os gastos a partir do recebimento de incentivos de investidores.

Qualquer empreendedor que tenha um modelo de negócio estruturado deve contratar um mentor para a sua startup. É preciso, ainda, se preparar para conquistar mentores no mercado. Mas não basta ser qualquer pessoa experiente: é necessário que suas habilidades sejam compatíveis com a sua expectativa para o produto e empresa. Assim, sua empresa poderá contar com todas as vantagens que o auxílio de um mentor pode proporcionar.

Gostou do artigo? Então, compartilhe este conteúdo em suas redes sociais!

Comentários