O mundo corporativo costuma adotar práticas regulares para gestão de pessoas e padronização de comportamentos, e isso inclui uma série de normas e condutas que devem ser obedecidas por todos os colaboradores. Porém, a relação empregado e empregador envolve outras questões que nem sempre fazem parte das políticas internas, mas que ainda assim  merecem atenção especial.

Uma dessas questões está relacionada à maneira com que os relacionamentos pessoais devem ser tratados no ambiente de trabalho. Na contratação de funcionários, é difícil prever futuras relações entre os colaboradores, e evitar contratar casais, namorados e até mesmo parentes pode não ser a melhor das políticas.

A solução, portanto, é lidar com esses relacionamentos que extrapolam o ambiente de trabalho com certo cuidado para que não atrapalhem a dinâmica e a rotina da equipe. Afinal, esse tipo de situação pode gerar polêmicas que precisam ser controladas rapidamente de modo a não causarem maiores desconfortos e, principalmente, perda de produtividade. O mesmo cuidado se faz necessário para o alinhamento e a adequação de comportamentos pessoais e profissionais, tanto na empresa quanto em eventos corporativos.

É importante se lembrar de que o clima organizacional depende da qualidade dos relacionamentos entre colaboradores e gestores, que está fundamentada em pilares como maturidade, integridade, respeito e confiança. Dito isso, conheça a seguir alguns aspectos que determinam o convívio entre empregado e empregador no ambiente de trabalho:

Os relacionamentos pessoais no ambiente de trabalho

As relações entre casais, namorados e parentes precisam ser devidamente separadas da relação profissional que envolve esses colaboradores, e para isso, bom senso é essencial.

Por parte da empresa, quando ocorre a contratação de funcionários em algum tipo de relacionamento, é comum limitar o uso de recursos internos para troca de mensagens e recados privados, como e-mails, telefone, redes sociais e outros canais de comunicação. Além disso, a questão da subordinação também precisa ser avaliada, sob risco de haver parcialidade de julgamento ou mesmo algum tipo de favorecimento. Nesses casos, a transferência de um dos colaboradores para outro departamento pode ser a melhor alternativa.

Aos funcionários, cabe a discrição e a postura profissional adequada, deixando de lado assuntos e discussões pessoais, bem como a expressão exagerada de afeto. Em linhas gerais, o excesso de intimidade não combina com o ambiente de trabalho e deve ser evitado sempre, independentemente do tipo de relação que exista entre os colaboradores.

O comportamento adequado em qualquer ocasião

Outro aspecto delicado envolve o comportamento dos colaboradores em eventos promovidos pela empresa, de happy hours a festas específicas ou confraternizações de final de ano. Veja algumas dicas para essas situações:

Postura profissional

Novamente, ainda que ocasiões festivas pressuponham mais informalidade, o excesso de intimidade não é algo bem visto. Adotar um comportamento discreto, simpático, conversar com todos os colegas e ampliar o networking são iniciativas interessantes.

Traje

É importante manter uma certa seriedade, em especial no traje. É fundamental estar vestido adequadamente ao local e ao público e, na dúvida, a formalidade é sempre a melhor opção.

Paqueras

Paqueras ou demonstrações exageradas de afeto em público devem ser evitadas, pois podem constranger os presentes ou até mesmo serem entendidas como assédio, dependendo do nível de conservadorismo da empresa ou do protocolo do evento.

Evite excessos

Começando pela bebida, moderação é essencial. Não é admissível exagerar nas doses. O mesmo vale para comida e música. Dançar é ótimo, mas um evento corporativo não é lugar para dar show na pista ou tentar ser DJ.

Redes sociais

Hoje, quase tudo é postado nas redes sociais, mas é preciso ter em mente que, no caso de eventos corporativos, o colaborador não deve publicar nada que possa prejudicar a imagem da empresa e, por consequência, a sua própria como profissional. Aliás, o ideal é que toda postagem inadequada seja evitada, independentemente de estar relacionada ao trabalho.

Em resumo, discrição e bom senso são básicos em qualquer situação que envolva a relação entre empregado e empregador, e se somados a fatores como educação, gentileza, elegância e cortesia, garantem a construção de uma boa imagem para todos.

Comente compartilhando a sua opinião sobre esse assunto tão delicado e não deixe de ler também nosso post com dicas para não errar processo de contratação de funcionários!

[contact-form-7 404 "Not Found"]

 

 

Comentários