MEI #9: Como a microempresa define o preço do seu serviço ou produto?

Entre as tantas variáveis de uma empresa, uma das mais importantes é a precificação dos produtos e serviços. Praticar o preço certo é fundamental para conquistar espaço no mercado, construir marca e, acima de tudo, garantir a viabilidade do negócio. Contudo, encontrar o equilíbrio entre competitividade e lucratividade nunca é tarefa fácil.

São vários os pontos que influenciam como a microempresa define o preço do seu serviço ou produto. Entre eles estão fatores internos (custos fixos e variáveis do negócio, despesas, indústria de atuação, qualidade) e fatores externos (concorrência, restrições legais, cenário econômico).

Em meio a todos esses aspectos, ter um guia que responda às dúvidas fundamentais é de grande auxílio na hora de precificar. Para isso, mapeamos os principais pontos da definição do preço na microempresa, que apresentamos a seguir:

Custos ou valor orientado: como a microempresa define o preço?

A definição de preço a partir dos custos ou da concorrência é bastante conhecida e praticada, apesar de muitos prestadores de serviços ainda encontrarem dificuldades ao precificar com enfoque em custos.

Por outro lado, nota-se uma tendência de precificação com base no valor percebido pelo cliente, já que esse valor está diretamente relacionado às necessidades atendidas. Para precificar a partir do valor percebido, é preciso descobrir o valor que os clientes reconhecem em seus serviços ou produtos.

Se a sua marca, produtos e serviços ainda não têm valor reconhecido, uma tática é começar com a precificação por custos, mais tradicional. Enquanto isso, divulgue a empresa para conquistar uma maior fatia de mercado e rentabilidade.

Custos fixos, variáveis e despesas: o que são?

Ignorar os custos e despesas na hora de estipular os preços é, sem dúvida nenhuma, um tiro no pé. Conhecer esses pontos é sempre o primeiro passo para ter uma empresa financeiramente viável.

Custos fixos são aqueles que não se alteram, ou seja, independem do volume de produção da empresa e existem mesmo que não haja produção alguma. Esses custos podem chegar a variar, mas em função de fatores que não estão ligados à produção: alteração de preço de aluguéis, impostos, dissídios salariais etc.

Os custos variáveis, por sua vez, variam de acordo com o volume de produção, ou seja, aumentam à medida em que a venda de produtos ou serviços prestados também aumenta. Alguns exemplos de custos variáveis são: matéria-prima, horas extras e custo de mão de obra, horas de máquina trabalhadas, custos de mercadorias adquiridas para revenda etc.

Já as despesas incluem bens e serviços, como gastos comerciais, financeiros e administrativos que são consumidos, direta ou indiretamente, para obtenção de receitas. Como exemplos temos: fretes, comissões, salários etc.

Margem de contribuição positiva: qual a importância?

A margem de contribuição é a quantia que sobra da receita obtida pela prestação de serviços ou venda de produtos após retirar todos os custos variáveis. Em outras palavras, é o ganho bruto sobre as vendas, ou seja, quanto sobra para que a empresa possa pagar suas despesas fixas e gerar lucro.

Daí a importância de uma margem de contribuição positiva, já que uma microempresa com margem negativa não será capaz nem mesmo de pagar as contas, muito menos lucrar. Com isso, estará fadada à falência.

Planejamento futuro: como pensar em precificação em médio prazo?

É importante lembrar que, em médio prazo, a empreendedor pode deixar de ser MEI e passar a pagar mais impostos. Com isso, também é preciso considerar a possibilidade de ajustes na precificação.

O ideal, nesse caso, é reunir-se com a sua assessoria contábil e fazer um planejamento que preveja os custos futuros. Assim, é possível traçar uma estratégia para equilibrar as contas sem comprometer a sua competitividade.

Esses são alguns dos pontos imprescindíveis a serem analisados quando o assunto é precificação. Lembrando que, quanto mais informação você tiver, mais fácil será entender como a microempresa define o preço do seu serviço ou produto. Você pode acessar nossa categoria Como Abrir Uma Empresa no blog e conferir mais informações.

E você, já teve experiência definindo o preço de um produto ou serviço? Deixe seu comentário aqui no post. A sua participação é mais do que bem-vinda. Também temos um espaço de tira-dúvidas gratuito.

 

Comentários

Compartilhe esse conteúdo

Artigos Relacionados

Artigos mais recentes

A contabilidade ideal para a sua empresa

Fale hoje com a Syhus!

Converse com quem realmente entende as necessidades e dores das startups e
empresas de tecnologia.