MEI #14: Quando deixar de ser MEI?

As empresas são muito sensíveis a diversos aspectos, como aumento de vendas, crises políticas e econômicas, alterações de tendências, etc. Estas questões impactam diretamente em várias características da personalidade de um empreendimento, como a necessidade de alteração do tipo de negócio, por exemplo. No caso do MEI, ou seja, os Micro Empresários Individuais, isso é ainda mais acentuado, tendo em vista todas as limitações que são impostas para este modelo, o que faz com que o empresário pense diversas vezes em solicitar a alteração. O post de hoje traz alguns casos que podem influenciar na sua decisão de deixar de ser MEI, principalmente se o foco dessa escolha for o baixo custo tributário. Acompanhe na íntegra!

Deixar de ser MEI

Ser um MEI lhe proporciona a enorme vantagem de ter um CNPJ, poder emitir nota fiscal, o que amplia bastante a capacidade de fechar negócios, e a carga tributária baixíssima incidente sobre este tipo de negócio. Mas em algum momento surge a dúvida sobre se vale a pena pagar um pouco mais de impostos para conseguir faturar mais, tendo em vista que o MEI pode ter o faturamento de apenas R$ 60.000, o que dá aproximadamente R$ 5.000 por mês. Além disso existem outros fatores que podem fazer com que esta alteração seja necessária. É o que veremos nos tópicos adiante.

Contratação de pessoal

Uma das questões que implica na decisão de deixar de ser MEI é a necessidade de contratação de mais de um funcionário para aumento da produção, ou de mão de obra mais qualificada. Quem faz a opção pelo MEI sabe que neste tipo de empresa não é possível ter mais que um colaborador, e que este não pode ter ganhos maiores do que um salário mínimo.

Muitos empresários que fazem opção por ser MEI, cometem o erro de “contratar” trabalhadores de maneira ilegal, o que na verdade é um enorme risco, pois, a Justiça do Trabalho é uma das mais atuantes, podendo fazer com que você precise pagar multas altíssimas. Nesse caso é melhor escolher uma opção mais adequada.

Abrir novas filiais

Outra questão que pode fazer com que você tenha que deixar de ser MEI, é a necessidade de expansão do seu negócio. Um dos pré requisitos para o enquadramento neste tipo de empresa, é que ela esteja estabelecida em um único local. De toda forma, possivelmente um empreendimento que vê a necessidade de se expandir já está faturando valores acima do permitido para este tipo de enquadramento, o que faria de toda forma com que você precisasse de alterar o tipo, e inclusive talvez chamar novos sócios para o negócio, o que não seria possível sendo MEI.

Fazer o desenquadramento

Para realizar o desenquadramento da maneira correta, basta buscar a opção referente (SIMEI) no site da Receita Federal. Vale lembrar que neste tipo de ação você precisará contratar um contador para preencher a documentação, além de estar em dia com as demais obrigações.

Outra questão que deve ser salientada, é que o desenquadramento só estará válido a partir do dia 1° de janeiro do ano calendário posterior, salvo em casos que é realizado no mês de janeiro.

Gostou do nosso post de hoje? Então não deixe de ler nosso artigo “Quais os benefícios para empresas que optam pelo Simples Nacional”.

Comentários

Compartilhe esse conteúdo

Artigos Relacionados

Artigos mais recentes

A contabilidade ideal para a sua empresa

Fale hoje com a Syhus!

Converse com quem realmente entende as necessidades e dores das startups e
empresas de tecnologia.