As inovações tecnológicas mudaram a maneira como os gestores interagem com clientes, fornecedores e colaboradores. Com o passar dos anos, novos sistemas são utilizados e integram os setores gerenciais e produtivos. Alguns negócios ainda não acompanham essas tendências e acabam perdendo boas oportunidades de crescimento.

E como o mercado está muito exigente, é fundamental prestar um serviço de qualidade e em um curto intervalo de tempo. Mas de nada adianta ter um produto eficiente se as contas estão em atraso e outros problemas financeiros acontecem na gestão. Dessa forma, os profissionais de contabilidade precisam adotar práticas e softwares modernos a fim de atender às demandas dos consumidores.

A Demonstração de Resultados do Exercício (DRE) é um importante documento nessas situações. Mas você sabe o porquê disso? Pois então, o nosso post vai ajudá-lo a entender um pouco mais sobre esse assunto. Explicamos o que é esse conceito e qual é a importância dele para fazer com que a sua empresa continue crescendo. Confira a seguir:

O que é DRE?

A DRE é uma demonstração contábil que tem o objetivo de cruzar receitas e despesas de uma empresa. A documentação leva em consideração tudo aquilo que foi gasto e obtido em um determinado período de tempo, sendo considerado geralmente um ano. Porém, nada impede que a demonstração seja realizada mensalmente. Em outras palavras, a DRE é um resumo do desempenho financeiro do empreendimento.

Qual é a importância dessa demonstração?

Empreender não é uma tarefa fácil. As empresas de tecnologia de médio e grande porte precisam superar vários desafios em suas rotinas de trabalho. Além de oferecer produtos e soluções inovadoras, é necessário contar com um orçamento estável e sustentável.

De uma forma bem simples, a DRE demonstra analiticamente o resultado líquido de uma gestão. Com informações reais e atualizadas, esse documento informa o quão positiva ou negativa foi a performance do negócio.

Um profissional que deseja garantir o sucesso da área de contabilidade precisa acompanhar esses números para tomar decisões cada vez mais eficientes. Quando isso não acontece, o futuro dos negócios é colocado em risco, e você deve evitar essas situações a todo custo.

Além disso, a DRE é essencial para a fiscalização dos órgãos fiscais. O valor de vários impostos, com o Imposto de Renda e a Contribuição Social, são calculados sob os dados apurados na demonstração. Por causa disso, caso exista sonegação ou erro na apuração do lucro, existirá um erro no pagamento dos impostos.

Em todos os casos, a empresa sai perdendo. Se ela declarar um valor inferior ao verdadeiro, a Receita Federal pode multá-la. E se o erro for para mais, o negócio desperdiça dinheiro e atrapalha o desempenho de outros setores.

Alguns gestores acreditam que o fluxo de caixa é a ferramenta a ser analisada para identificar a lucratividade do empreendimento. Essa ideia está errada e pode proporcionar uma análise equivocada. O fluxo de caixa registra as movimentações financeiras diárias que acontecem. Assim, ele mostra se sobrou dinheiro ou não.

Às vezes, a falta de dinheiro no caixa nem sempre é ruim. A empresa pode estar vendendo a prazo e pagando à vista, ou, então, ter altos valores em direitos a receber. Portanto, cada situação deve ser analisada separadamente.

Qual é a estrutura de uma DRE?

A estrutura da DRE deve ser correta e de acordo com a realidade do negócio. Abaixo, mostramos os seus componentes:

Receita bruta

Valor referente à quantidade total de vendas da empresa. Os tributos também são contabilizados, por mais que eles sejam recolhidos somente no futuro.

Deduções

Valores correspondentes aos impostos que incidem sobre as vendas, como ICMS, ISS e EPI. Lembre-se também de contabilizar os descontos oferecidos aos clientes e as vendas que foram canceladas.

Custo da mercadoria

Mostra a relação existente entre as vendas, o estoque e as compras do negócio. Seu nome pode variar de acordo com o tipo de serviço prestado.

Lucro bruto

Diferença entre a receita líquida e o preço de venda das mercadorias.

Despesas com vendas

Valores gastos para que uma mercadoria seja comercializada no mercado. Por exemplo, se você trabalha com vendas, as comissões pagas aos vendedores devem ser consideradas. Já em uma situação em que a embalagem do produto só é aplicada no momento de venda, os gastos delas são contabilizados nesse momento.

Custos administrativos

Nem só de vendas vive uma empresa, não é mesmo? Pois, então, os custos administrativos estão ligados ao funcionamento da sede do negócio, por exemplo. As contas de água, energia elétrica, internet dão suporte para que tudo funcione da melhor maneira possível.

Despesas financeiras

Os empreendimentos que realizaram empréstimos ou financiamentos devem contabilizá-los na hora de fazer a DRE.

Resultado operacional líquido

É calculado com a dedução das despesas de vendas, administração e finanças sobre o lucro bruto.

Resultado líquido

Valor que sobra da incidência do imposto de renda e da contribuição social sobre o lucro líquido. Ele serve para que o empresário distribua as participações ou realize outros investimentos na empresa.

Como é feita a análise da documentação?

É perceptível que a DRE é um importante documento para um profissional que atua na área financeira. Compreender a demonstração dos resultados é essencial para fazer a empresa crescer. Desse modo, é preciso ter muita atenção ao analisá-la. Existem duas formas para estudar esse documento:

Análise horizontal

Consiste na verificação dos elementos da DRE com o passar do tempo. Isso deve ser feito a partir de valores de um mesmo documento ou grupo de contas. Em geral, toma-se como base o valor anterior ao que está sendo avaliado. Assim, é possível determinar se a variação foi positiva ou negativa. A análise horizontal é muito importante para acompanhar a evolução das vendas e do lucro bruto em intervalos regulares de tempo.

Análise vertical

Também chamada de análise da estrutura, ela facilita a visualização dos valores da DRE e a representatividade de cada um deles. Com isso, o profissional fica mais capacitado para determinar qual quantia tem o maior impacto no resultado final do documento. De uma outra forma, a análise vertical busca obter o percentual de cada verba em relação ao valor global da DRE.

Qual é o passo a passo para fazer a DRE?

Primeiramente, é essencial que você realize um controle financeiro rigoroso em sua rotina de trabalho. Não deixe de lado uma despesa ou receita sequer e contabilize tudo o que foi gasto, vendido ou emprestado. Veja o exemplo que criamos para melhorar a sua compreensão:

  • receita operacional bruta: R$ 15.000,00
  • impostos sobre vendas: R$ 1.000,00
  • receita líquida: R$ 15.000,00 + R$ 1.000,00 = R$ 16.000,00
  • custos das mercadorias e produtos: R$ 2.000,00
  • lucro bruto: R$ 16.000,00 – R$ 2.000,00 = R$ 14.000,00
  • despesas operacionais: R$ 1.500,00
  • lucro antes dos juros e IR: R$ 14.000,00 – R$ 1.500,00 = R$ 12.500,00
  • imposto de renda e contribuição social: R$ 2.000,00
  • lucro líquido: R$ 10.500,00

E então, o que achou do nosso conteúdo? Quer aprender ainda mais sobre a DRE e outros assuntos? Descubra os principais relatórios financeiros e contábeis necessários para conseguir investimentos!

Comentários