O planejamento tributário para empresas de tecnologia é um dos assuntos que costuma tirar o sono de muitos empreendedores. Imagine não saber o quanto de tributos deverá ser pago e tampouco definir adequadamente qual o melhor regime tributário a ser adotado. Complicado, não?

O planejamento tributário, quando realizado de forma correta e precisa, passa a ser um fator de grande importância para a redução dos tributos pagos e, consequentemente, para o desenvolvimento de estratégias empresariais menos onerosas.

Para ajudar você a fazer uma gestão financeira eficiente, levantamos alguns pontos importantes que podem ser colocados em prática facilmente. Continue a leitura e saiba mais!

Qual a importância do planejamento tributário para empresas de tecnologia?

A gestão de tributos é, sem dúvida, uma das áreas mais importantes dentro de uma empresa. Isso porque passa a ser uma etapa preventiva, já que produz a elisão fiscal: redução da carga tributária dentro da legalidade.

Ao fazer o planejamento tributário, é possível identificar todas as transações efetuadas pela empresa e, assim, escolher a ação mais adequada para os futuros gastos e investimentos. O objetivo de realizar o planejamento tributário é obter uma forma lícita de reduzir a carga fiscal cumprindo as determinações legais.

Uma empresa de tecnologia que mantém suas obrigações fiscais em dia consegue realizar com maior segurança e tranquilidade suas operações. Assim, é possível investir mais tempo nas atividades que agregam valor ao negócio e na qualidade da prestação do serviço.

Além disso, ao fazer o planejamento correto é possível se prevenir nos casos de fiscalização e auditoria dos órgãos fiscalizadores de arrecadação tributária. De forma simplista e direta, podemos dizer que o planejamento tributário é a melhor forma de organizar a apuração e o pagamento de tributos da empresa, podendo reduzir esses custos, prevenindo a ocorrência de ilegalidades.

Como fazer o planejamento tributário corretamente?

A tributação e o correto planejamento tributário são importantes para qualquer empresa. Ao realizar uma gestão eficaz, é possível lidar com maior facilidade com toda a burocracia de ter e abrir uma empresa.

Diante da instável segurança jurídica existente no Brasil, é fundamental que o empreendedor realize um correto planejamento tributário, de modo a mitigar contingências e passivos da organização. Mas como fazer isso? Veja a seguir o que levar em consideração.

Escolha o regime tributário adequado

Com o controle dos tributos e a redução de gastos feitos de forma legal, é possível projetar o crescimento da empresa e realizar novos investimentos. A melhor forma de alcançar isso é definindo a tributação para o seu negócio.  

Existem três principais regimes que uma empresa de tecnologia pode aderir: o Simples Nacional, o Lucro Presumido e o Lucro Real. Embora a opção pelo Simples Nacional possa trazer uma série de vantagens, como o pagamento unificado de oito tributos, é preciso avaliar se essa escolha é a melhor para empresas de tecnologia. Isso porque a alíquota aplicada é definida pela atividade especificada no contrato social do negócio, podendo variar de 4% a 22,9%.  

No caso de aderir ao Lucro Real, a alíquota pode ser bem mais atrativa, uma vez que a cobrança é referente ao lucro registrado. Vale destacar que o Lucro Presumido também pode ser um ótimo regime de tributação, principalmente para empresas de pequeno e médio porte.  

Isso porque tais empresas são tributadas seguindo como base uma tabela de presunção, que varia de 1,6% a 32% do faturamento. Mesmo que o lucro do empreendimento seja superior à presunção do lucro, o Imposto de Renda e a Contribuição Social serão apurados seguindo essa presunção.

Busque incentivos fiscais

Há quem pense que fazer um bom planejamento tributário para empresa de tecnologia representa apenas redução de tributos. Mas as vantagens vão além disso, como é o caso dos benefícios fiscais.

Alguns benefícios podem ser obtidos em programas, como é o caso da Lei do Bem (Lei nº 11.196/2005) e a Lei dos Incentivos à Inovação Tecnológica instituídos pela Lei de Inovação Tecnológica (Lei nº 10.973/2004).  

Tais leis podem favorecer empresas de tecnologia tanto para a obtenção de redução no pagamento de tributos, quanto o abatimento do imposto de renda, por exemplo.

Faça um bom cronograma de planejamento

Para se fazer um planejamento adequado para empresas de tecnologia é fundamental que cada etapa seja criteriosamente analisada e colocada no papel.  

Por exemplo, a escolha do regime tributário deve ser feita a cada ano, com avaliações semestrais do planejamento estabelecido. A empresa também pode optar por recolher seus tributos trimestralmente ou anualmente, o que gera um impacto direto sobre o fluxo de caixa da organização.  

Ao manter um cronograma de todas as etapas do planejamento, é possível conhecer os efeitos da carga tributária sobre o negócio. Também é preciso ficar atento ao recolhimento de alguns tributos, com o PIS e COFINS, cujos tratamentos diferem entre o lucro real e o lucro presumido. Além disso, as alíquotas são diferenciadas entre os dois regimes.

Por isso, mantenha um cronograma atualizado referente às etapas do planejamento tributário, de modo a conhecer cada um dos regimes de incidência. Fique atento aos prazos para entrega de documentos, às deduções e à base de cálculo.

Conte com ajuda especializada

Como você já pôde ver, o planejamento tributário para empresas de tecnologia requer conhecimentos específicos na área. Isso porque existem diferentes alíquotas aplicadas à área de tecnologia, além de valores variados para os mais diversos serviços e produtos que são comercializados por essas empresas.

Um bom exemplo é a desoneração da folha de pagamento para as prestadoras de serviços de TI. Antes das alterações, a desoneração da folha de pagamento era vantajosa para empresas de TI que possuíam uma folha nominal maior que 17,5% da receita bruta. Agora, as empresas de tecnologia que não estão aderidas ao Simples Nacional devem recolher os 20% sobre o valor bruto da folha de pagamento mensal para o INSS.

Isso significa que não basta entender como funciona a tributação para empresas de tecnologia, é preciso também analisar os números e saber como eles podem ajudar o negócio a chegar em melhores resultados. Com o auxílio de profissionais habilitados e capacitados, é possível reduzir as burocracias do negócio e focar nas atividades que representam mais valor à empresa. Por meio da ajuda especializada, toda a parte de legislação tributária da empresa de tecnologia passa a ser atualizada.  

Entendeu como pode ser essencial contar com profissionais especializados para o planejamento tributário? Isso pode auxiliar não só a evitar gastos desnecessários, como a manter a empresa dentro da legalidade.   

Gostou do nosso artigo sobre como fazer o planejamento tributário para empresas de tecnologia? Se você ficou com alguma dúvida ou deseja conhecer nossos serviços não deixe de entrar em contato conosco. Aguardamos seu retorno!

 

Comentários