Abrir o próprio negócio é um investimento que demanda, além de recursos financeiros, muito tempo de dedicação do empreendedor. É preciso que o empresário aposte todas as fichas para obter sucesso e reconhecimento de mercado.

Por outro lado, ele tem de estar preparado para entender que parte do faturamento deve ser destinado às despesas, salários de funcionários e novos investimentos.

Assim, o gestor deve saber separar as despesas corretamente, de modo a gerenciar o risco de o dinheiro acabar antes que o próximo nível de desenvolvimento do negócio seja alcançado. No caso de startups, isso não é diferente.

Para ajudar você a conhecer e a entender melhor a importância de separar as despesas da startup e dos sócios, levantamos algumas dicas que podem ser aplicadas facilmente no dia a dia. Continue a leitura e saiba mais!

Defina um pró-labore para o proprietário ou sócios da startup

Existem duas formas mais simples dos sócios de uma startup realizar retiradas: ou pelo pró-labore ou pela distribuição de lucros. Mas não é incomum empreendedores que ainda não possuem lucros pelo negócio realizarem pagamentos e desembolsos pelos sócios de forma indevida.

Tal procedimento, além de comprometer seriamente a saúde financeira da empresa, pode levar o empreendedor a ter que fechar as portas, antes mesmo de qualquer lucratividade e rentabilidade.

O fato é que a remuneração dos sócios deve ser calculada de acordo com as atividades exercidas por eles ou, até mesmo, por pessoas nomeadas. O pagamento do pró-labore pode ser realizado tanto no início do negócio como ao longo do tempo.

Muitas startups, principalmente aquelas que já alcançam um elevado faturamento e crescimento rápido, remuneram seus administradores desde o início. Mas cada caso é diferente! Os gestores devem avaliar o valor e o período adequado para destinar o pagamento do pró-labore aos administradores, de modo a não impactar as finanças e o orçamento do negócio.

Defina adequadamente as retiradas

Nas startups, é comum ocorrer o acúmulo de funções — seja por ter poucos funcionários ou porque a gestão é feita apenas pelos próprios sócios e administradores. O fato é que uma série de equívocos podem ocorrer. Entre eles estão as retiradas em excesso de recursos do caixa da empresa, que por vezes acabam misturando as contas pessoais com as contas empresariais.

Por isso, definir adequadamente as retiradas é tão importante. Ao decidir qual será o pró-labore, o empreendedor deve conhecer bem a realidade do seu negócio e estipular um valor que não comprometa as demais obrigações da companhia.

Ao separar as despesas corretamente, o empreendedor pode programar o seu orçamento e realizar investimentos, reservar um valor para capital de giro e entre estes efetuar o pagamento de todos os seus colaboradores.

Tenha contas bancárias diferentes para a empresa e para pessoa física

Há uma obrigação legal e princípios contábeis que determinam ao empresário separar as contas pessoais das contas da empresa. E ainda, com contas distintas, fica mais fácil ter uma boa organização financeira.

Além disso, quando as contas bancárias do negócio são mantidas de forma separadas das contas pessoais é possível ter um maior controle sobre os lançamentos  nos extratos, sobre os pagamentos e recebimentos e sobre as despesas realizadas.

Não é incomum empreendedores cometerem o erro de pagarem as contas pessoais com cheque ou cartão da empresa. Esse é, geralmente, o primeiro passo para a desorganização das finanças. Por não terem um controle financeiro efetivo, acabam sequer sabendo se têm ou não um negócio lucrativo.

Outro benefício de manter as contas separadas são os efeitos fiscais. Assim, é possível comprovar receitas e despesas, o que torna mais simples a elaboração da declaração do Imposto de Renda, da empresa e do próprio sócio.

Controle o fluxo de caixa

É fundamental ter conhecimento do fluxo de caixa. É por meio dele que é possível medir a saúde financeira do negócio, bem como suas entradas e saídas. Dessa forma, o empreendedor consegue identificar se os custos estão altos demais e tomar providências para solucionar os problemas financeiros.

É importante, também, realizar a correta conferência do fluxo de caixa por meio dos extratos bancários, canhotos de cheques e relatórios de caixa. O acompanhamento e a correta gestão do fluxo de caixa possibilitam identificar períodos de baixa movimentação financeira e aplicar soluções que possam reverter esse déficit posteriormente.

Não compromete o dinheiro que ainda não entrou

Não é incomum empreendedores utilizarem dinheiro de vendas que ainda não foram realizadas. Esse é um dos grandes equívocos e que leva muitas empresas a ter problemas de caixa futuramente.

O melhor caminho para administrar as despesas corretamente é conhecer os prazos e ficar de olho nas contas. Por exemplo, é muito comum empresários realizarem aquisições contando com um dinheiro que ainda não entrou. Contudo, esse é um erro que pode fazer com que os gestores, em algum momento, tenham que retirar do próprio bolso para quitar tais despesas.

Por isso, a melhor solução para driblar problemas como esse é elaborar um bom calendário de pagamentos e recebimentos e ficar atento às formas de recebimento. Assim, se uma venda foi realizada no cartão de crédito em cinco vezes, não significa que o dinheiro será revertido imediatamente ao caixa da empresa, mas que estará sendo incorporado ao negócio nos próximos meses.

Além dos pagamentos e dos recebimentos, o empreendedor precisa realizar um calendário da folha de pagamento e as obrigações que devem ser realizadas, como as fiscais, as contábeis e demais exigências.

Controlar as despesas corretamente é a melhor forma de evitar problemas de caixa, bem como se precaver de possíveis problemas de liquidez. Para não cair nesse tipo de armadilha, tenha ajuda profissional em todas as etapas do processo da empresa, de modo a organizar as finanças e não se perder entre prazos e demais gastos.

Procure a ajuda de uma boa assessoria, que conta com profissionais competentes e que podem ajudar em todo o processo de decisão. Além disso, contar com um bom software de gestão acaba sendo um diferencial, que fará a organização e acompanhamento das despesas automaticamente.

Separar as despesas corretamente é uma prática de extrema importância, já que garante a continuidade dos negócios e a saúde financeira da empresa. Ficou com alguma dúvida ou deseja compartilhar suas experiências? Deixe seu comentário logo abaixo!

Comentários