Você já ouviu falar em ciclo operacional e financeiro do negócio? Essas duas atividades, somadas ao ciclo econômico, têm o poder de revelar como anda a saúde financeira do negócio. E, por estarem diretamente relacionadas ao fluxo de caixa, são também importantes instrumentos para que o empreendedor possa controlar entradas e saídas da empresa.

Dessa forma, é possível gerenciar corretamente a escolha de fornecedores, a entrega e recebimento de produtos e os serviços prestados aos clientes. Ficou interessado? Então confira o material que preparamos sobre o assunto!

O que é ciclo econômico?

Para entender o ciclo operacional e financeiro, é preciso em primeiro lugar conhecer o que é o ciclo econômico do negócio. Não há dúvidas de que toda empresa tem como principal objetivo o retorno lucrativo sobre o investimento feito. Seja qual for o segmento de atuação, porte do negócio, visão ou missão, ninguém inicia um empreendimento se não for pra lucrar sobre ele.

Para que isso ocorra, realizar uma boa gestão financeira é fundamental, e os ciclos econômicos, operacional e financeiro têm um importante papel nessa jornada. É por meio deles que será possível mensurar o tempo gasto para desenvolver as atividades relacionadas a todos os seus processos, desde a compra e estocagem da matéria-prima até o recebimento do lucro obtido a partir dessas vendas.

Para que ele serve?

Dito isso, podemos afirmar que o ciclo econômico diz respeito ao tempo médio que sua empresa leva para vender um produto ou serviço, desde o momento em que é adquirido e armazenado em estoque até quando é desenvolvido e colocado à disposição dos clientes.

Quando ele começa e termina?

Basicamente, o ciclo econômico começa quando a empresa adquire a matéria-prima e termina quando vende esses produtos ou serviços. Em síntese, é o tempo em que esse produto ou serviço fica na empresa.

O que é ciclo financeiro

Também chamado de ciclo de caixa, o ciclo financeiro abrange o pagamento da matéria-prima até o momento em que a empresa recebe as vendas dos produtos. Pode-se dizer que é o caminho que o dinheiro faz desde o investimento nos insumos necessários para o desenvolvimento do produto até a volta com os lucros sobre a venda desse material.

Quais os objetivos?

A diferença entre o ciclo financeiro e o econômico é que o financeiro considera desde o momento exato em que o fornecedor é pago. Diferente do anterior, que compreende a aquisição do insumo independentemente de ter sido pago ou não.

Quanto maior for o prazo do fornecedor e menor o prazo do cliente, mais dinheiro a empresa terá disponível em caixa e menor será a dependência de financiamento, bem como os juros e outros investimentos.

Em contrapartida, quanto menor for o prazo para o pagamento de fornecedores e maior o prazo que os clientes têm para pagar, também maior será a probabilidade de a empresa precisar usar o capital de giro para dar conta de gerenciar suas atividades.

Quando ele começa e termina?

Como mencionamos anteriormente, o ciclo financeiro inicia no momento em que a empresa paga pelos insumos e termina quando o cliente efetua o pagamento pelo produto.

Como calcular?

A fórmula para esse calculo é:

Ciclo financeiro = ciclo operacional – prazo médio de pagamento a fornecedores.

O que é ciclo operacional?

O conceito de ciclo operacional pode ser definido como a soma de todos esses processos, realizando durante uma operação empresarial:

  • a compra da matéria-prima;
  • a produção;
  • a venda desse produto;
  • o recebimento pelas vendas.

A fórmula para esse cálculo se dá pela soma do prazo médio de estocagem com o prazo médio de recebimento. Quanto mais curto for esse tempo, melhor.

Qual a importância de entender esse ciclo?

O ciclo operacional é fundamental para uma boa administração financeira, pois expõe tudo o que está acontecendo em uma organização. Desde a compra da matéria-prima até os lucros obtidos com a comercialização do produto ou serviço, esse ciclo inclui todos os valores praticados em todas as etapas do processo.

Como adaptar esse cálculo às startups?

Se você é empreendedor e quer saber como esse cálculo pode ser adaptado para a sua startup, trouxemos um exemplo prático. Supondo que sua empresa tenha desenvolvido um software que permanece em estoque por 40 dias, cujos fornecedores recebem em 60 dias e o pagamento efetuado pelos clientes acontece em 90 dias. Dentro dessa dinâmica, os valores se apresentam assim:

  • Prazo Médio de Estocagem (PME) ou ciclo econômico = 40 dias;
  • Prazo Médio de Contas a Receber (PMCR) = 90 dias;
  • Prazo Médio de Pagamento a Fornecedores (PMPF) = 60 dias;
  • Sendo assim, o ciclo operacional compreende a soma do ciclo econômico ao PMCR: 40 + 90 = 130 dias;
  • Depois, busca-se pelo ciclo financeiro, cujo cálculo se dá pela subtração do ciclo operacional e do PMPF: 130 – 60;
  • Com isso, descobre-se o ciclo financeiro da sua startup: 70 dias.

Qual a importância desses ciclos?

Como mencionamos ao longo deste material, os ciclos econômicos, como o ciclo operacional e financeiro, estão diretamente relacionados ao fluxo de caixa e são extremamente importantes para que esses processos não sejam prejudicados.

Além disso, qualquer problema no gerenciamento do prazo de pagamento, tanto dos fornecedores como dos clientes, pode ser prejudicial e aumentar a demanda sobre o capital de giro para suportar os investimentos.

Portanto, os ciclos permitem que a sua empresa possa ajustar o prazo de compra e venda, considerando o intervalo de tempo em que esse produto fica em estoque. O ideal é que o prazo de recebimento seja menor que o de pagamento, evitando que o capital de giro seja comprometido. Fica o alerta para os casos em que o prazo de recebimento é maior que o de pagamento: é preciso buscar mais investimentos para aumentar o capital de giro.

A rotina agitada de uma startup pode encobrir a importância de controle do ciclo operacional e financeiro do negócio. Por isso, não deixe que a correria do dia a dia faça você esquecer de verificar os ciclos econômicos da sua empresa. Manter a saúde do seu empreendimento em dia só depende de você!

Proteja a sua empresa garantindo sua saúde financeira: conheça 5 erros contábeis que podem ser prejudiciais ao seu negócio.

Comentários