Todos os dias os noticiários brasileiros abordam temas relacionados à economia: alta do dólar, bolsa de valores, taxa de juros, mercado internacional, inflação e outras temáticas relacionadas a essa área. As informações chegam até nós, mas será que sabemos como interpretá-las? Conhecemos o real impacto da flutuação do mercado em nossas vidas e, principalmente, nas nossas empresas?

Esse assunto merece atenção, especialmente se você é empreendedor, já que cada variável tem impacto direto sobre o negócio. Por isso, o artigo de hoje vai explicar algumas questões relacionadas à SELIC (Sistema Especial de Liquidação e de Custódia).

Para aqueles que estão acostumados a ver o noticiário ou recebem informações sobre investimentos, esse nome pode ser familiar. Se você deseja saber mais sobre o assunto ou precisa captar recursos, acompanhe o nosso material e descubra como essa taxa pode afetar a sua empresa.

Como a taxa de juros afeta a economia como um todo?

A Selic é a taxa de juros básica da economia no Brasil. Em síntese, trata-se de um sistema computadorizado que o Governo Federal utiliza, por meio do Banco Central do Brasil, para controlar a compra, venda e emissão de títulos públicos federais. Como o sistema acompanha as transações diariamente e em tempo real, há um ajuste na taxa média de juros todos os dias. As alterações mudam a rentabilidade dos títulos, que por consequência interfere na captação dos bancos.

Na prática, quando a Selic está em alta, a tendência é que as pessoas deem uma pequena pausa nos gastos, pois os bancos tendem a subir os juros, o que dificulta empréstimos e investimentos por parte dos fornecedores, aumentando também o valor cobrado por produtos e serviços. O contrário acontece quando a Selic está em baixa: juros menores facilitam o investimento e a produção, o consumidor final pode realizar suas compras a um preço mais justo e a economia se movimenta.

Isso explica por que você conseguiu um empréstimo com uma taxa X, enquanto o seu colega vai pagar Y por um valor semelhante. O momento no qual o mercado está passando é crucial para determinar essas questões.

Como exatamente as taxas de juros podem favorecer ou prejudicar as empresas?

Agora você já sabe que o momento mais adequado para se buscar por investimentos é quando a Selic cai. Mas a influência da taxa de juros sobre o seu empreendimento não é tão simples. São várias oportunidades que você pode aproveitar — ou não — para o bem do seu negócio. Conheça algumas.

Renegociações

Se a sua empresa tem muitos contratos a médio e longo prazo, as flutuações mais expressivas na taxa de juros são momentos ideais para avaliar as condições desses empréstimos. Certamente você vai encontrar alguns contratos que podem ser reajustados mediante a oscilação da Selic.

Isso significa que, se você estiver com os documentos bem organizados, pode descobrir que algumas parcelas podem ter os seus valores reduzidos. Saber aproveitar essa oportunidade é sinônimo de economia.

Consumo

Quando as instituições financeiras diminuem as taxas de juros, o Brasil cresce economicamente, já que novos recursos são disponibilizados para os empreendedores. Esses recursos costumam ser utilizados para a oferta de novos produtos e serviços, fazendo com que as pessoas voltem a consumir. Já com as altas taxas, as empresas dão um freio nos investimento, e isso acaba refletido no consumo, que também cai.

Quanto mais a população compra, mais o país cresce. Por isso, estimular o consumo é fundamental para a evolução econômica não só das empresas, mas também do Brasil como um todo.

Crédito

Quando a Selic sobe, empreendedores podem ter certa dificuldade para conseguir crédito junto aos bancos. Isso porque o custo dos bancos para captar recursos também sobe, e eles passam a ser mais seletivos na hora de conceder os créditos.

Esse caso divide opiniões, porque a tendência é que o sistema financeiro passe a emprestar apenas para quem tem mais condições de pagar. No entanto, nem sempre essas empresas são as que mais precisam de dinheiro.

Volume de negócios

Menos capital disponível no mercado significa que as famílias estão reduzindo o seu consumo. Quando isso acontece, as empresas passam a produzir menos. Assim como a produção, os resultados também diminuem, e isso faz com que a população entre em um ciclo vicioso: com o consumo caindo, a economia desestabiliza.

O volume de negócios é uma consequência do consumo. Se há mais demanda por parte dos consumidores, há também a necessidade de mão de obra. Mais negócios, mais vendas, mais lucros, maior necessidade de colaboradores. Assim, mantém-se a engrenagem da economia em funcionamento.

O que leva o governo a aumentar ou reduzir a taxa de juros?

O governo utiliza as taxas de juros como uma tentativa de combater a inflação e manter os preços de mercado corrigidos e equilibrados. Ao aumentar a taxa Selic, os investimentos são mais atrativos que as compras imediatas, gerando capital para que haja mais dinheiro para ser investido em obras públicas como estradas e hospitais.

Nesse cenário, em que as pessoas preferem investir nos títulos disponibilizados pelo governo, a inflação diminui. Com isso, os preços acabam caindo, já que os produtos começam a encalhar nas prateleiras.

É possível fazer previsões?

Você pode estar pensando que a maneira mais fácil de acertar o momento adequado para captar investidores é fazendo uma previsão da Selic. No entanto, nem mesmo economistas gabaritados podem prever de quanto exatamente serão essas oscilações.

Isso não significa que não seja possível fazer estimativas. Na realidade, observar indicadores econômicos e acompanhar as operações do Banco Central deve fazer parte da rotina de qualquer cidadão — ainda mais para aqueles que são responsáveis por uma empresa.

Períodos conturbados tendem a elevar a taxa de juros, indicando que os empreendedores devem aguardar um pouco para tentar captar recursos. Acompanhar o andamento da economia por meio dos noticiários é fundamental para a realização de um bom planejamento financeiro, já que revela quando pode ser a hora certa para investir.

Achou o nosso material interessante? Informação de qualidade deve ser disseminada, portanto, compartilhe este conteúdo nas suas redes sociais!

Comentários