Em meio a crise da economia nacional, não é muito recomendado buscar soluções exclusivamente no mercado brasileiro. A realidade é que com a moeda nacional em crescente desvalorização, as mercadorias fabricadas no Brasil ganham no quesito competitividade no exterior. Uma ótima oportunidade para conquistar clientes além de nossas fronteiras e conseguir vender para o exterior.

O fato é que todo empreendedor deseja lucrar a sua fatia nesse mercado tão vasto. Porém, muitos, principalmente os menores, tem dúvidas sobre como conseguir vender e fazer as entregas dos produtos no exterior. No entanto, saiba que é totalmente possível! Exige, obviamente, mais dedicação, trabalho e investimento.

Neste post falaremos sobre os cuidados e características necessárias para expandir o público e passar a vender para o exterior. Acompanhe!

Conhecimento cultural

Se os hábitos de consumo mudam bastante de um Estado para outro do Brasil, imagine de um país para outro. Por esse motivo é primordial realizar uma pesquisa enfatizando gostos e outros elementos culturais dos indivíduos dos países para os quais você deseja vender.

Além de conhecer bem a cultura, um planejamento eficiente para vender para o exterior precisa averiguar datas pertinentes e feriados de picos de vendas como a Semana Dourada no Japão, a Black Friday nos Estados Unidos, Dia dos Solteiros na China ou a Click Frenzy na Austrália.

De nada adiantará vender arroz com feijão pra quem está acostumado a comer pizza e hambúrguer no almoço ou até mesmo ofertar serviços de publicidade no Google para clientes da China, devido ao fato de o buscador ser bloqueado nesse país. Além disso, averigue se existe a necessidade do seu produto ou interesse por ele no país almejado.

Regulamentação

Fique atento à legislação! Seria fabuloso vender um box de cafés nacionais todo mês a pessoas de outros países, mas é importante saber que há diversas restrições jurídicas quanto a isso. Lembrando que essas restrições podem vir, não somente do Brasil, mas também do país no qual você deseja trabalhar. Um dos grandes obstáculos ao vender para o exterior é conseguir se adequar à enorme variedade de regulamentações de cada nação.

Um exemplo são os Estados Unidos, onde existe uma discussão sobre a aplicação de impostos estaduais sobre transações englobando o comércio eletrônico. Além dos impostos, existem também produtos com leis específicas para realização da venda, como as bebidas alcoólicas, que tem diferença na idade mínima para comercialização de um país para outro.

Vale a pena mencionar a questão obrigacional-acessória no aspecto tributário das operações internacionais. Um exemplo dessas obrigações é o Siscomex, que se traduz em um sistema nacional regulador das transações do comércio exterior. O citado compreende diversos cadastros especiais, como o Registro de Exportadores e Importadores (REI) e o RADAR, que são necessários para estar cumprindo as exigências regulamentais estabelecidas pelo governo.

Flexibilidade

Além de maximizar a produção, geralmente é necessário realizar adaptações no produto que compreendem fatores culturais, gosto do consumidor, questões regulatórias e tamanho de embalagens. Uma dica dos empreendedores que já exportam é ter flexibilidade para atender o mercado externo. O rótulo, a embalagem e até a cor do produto podem ter influência no resultado.

Tributação

Um dos pontos de maior atenção certamente é a questão dos impostos incidentes sobre as operações de exportação. Tal fato pode mudar completamente a margem de lucro e custos vinculados às mercadorias, consequentemente alterando sua precificação e a viabilidade do negócio.

Como a maioria dos impostos é isenta, imune ou não incidente nas exportações diretas, é possível verificar uma grande vantagem fiscal com tais operações. Todavia, existem diversas variáveis e complicações. Dessa forma, um rigoroso controle tributário é primordial para a execução dessas atividades. Como exemplo, é possível destacar o “Imposto de Exportação (IE)” que é incidente sobre determinados produtos listados na Portaria SECEX n° 23, porém ele tende a passar batido por muitos contribuintes.

Uma excelente opção para os iniciantes nesse mercado é começar com as exportações indiretas, que basicamente são operações realizadas por meio de uma “Trading Company”, que intermedeia as relações entre importador e exportador.

Eventualmente, com uma melhor compreensão do ecossistema e dos processos envolvidos, é possível realizar uma transição para as operações diretas, que têm uma maior complexidade.

fale com um especialista syhusPowered by Rock Convert

Por fim, tendo em vista os pontos mencionados anteriormente, basta manter um controle minucioso sobre os eventuais custos com transporte, desembaraços aduaneiros e demais processos para otimizar intensamente as operações de exportação e oferecer um produto mais competitivo e atrativo economicamente.

Precificação

É primordial, em um primeiro contato com um cliente, apresentar materiais no idioma local e preços na moeda local, como veremos no próximo tópico. Quando for realizar a conversão do preço é necessário observar a forma como os concorrentes precificam. Geralmente, uma pesquisa online pode auxiliar.

O preço é um elemento muito importante. É necessário conhecer o seu competidor internacional para se certificar de que o preço do seu produto em uma determinada moeda está de fato competitivo.

Moeda local

A prática mais comum quando vendemos para outros países é oferecer os produtos em dólares. Não obstante, sua loja virtual internacional também pode utilizar uma perspectiva multi-divisas, no qual o usuário é quem determina em que moeda deseja que seu produto esteja. É necessário averiguar como os consumidores locais estão acostumados a serem cobrados e utilizar a mesma modalidade.

Um dos benefícios de disponibilizar os preços em moeda local é que se cria mais confiança. A flutuação do câmbio é um dos problemas. Leve em conta que as mudanças diárias causam uma variação de forma direta do preço dos produtos, fazendo com que o usuário fique inseguro.

Logística

Uma grande vantagem competitiva no e-commerce é o bom processo de entregas, especialmente nas entregas internacionais. Procure muito por empresas que realizam entregas nos países para os quais planeja vender. Apesar de os Correios realizarem entregas internacionais, os prazos de entrega e os preços podem ser mais vantajosos em empresas privadas que atuação em outros países, como a UPS e a FedEx, por exemplo.

Neste cenário, isso engloba mais quando existe o envio de produtos. Esse problema já não existe, caso esses produtos sejam digitais ou de prestação de serviços.

Métodos de pagamento

Assim como na precificação, é essencial considerar os métodos de pagamento que os clientes preferem em cada país. Isso pode mudar muito, de acordo com o destino. Para se ter uma noção, os brasileiros têm o costume de pagar com cartão ou pelo celular; já os chineses, pagam quando o produto é entregue; e os consumidores alemães costumam pagar com débito ou bank transfer.

Na dúvida entre qual forma de pagamento escolher, adicione as formas de pagamentos locais para compras internacionais. Ao disponibilizar o método que o cliente prefere, reduz burocracias e agiliza o processo. Ter um cliente é uma coisa, mas assegurar o recebimento do dinheiro de quem está disposto a contratar é outra questão a ser planejada.

Fique também atento às formas de pagamento que apresentam menos desconto possível. O método PayPal talvez seja o mais popular nesse sentido. Ele é uma plataforma de pagamento on-line, em que as negociações são feitas pela transferência de dinheiro de uma forma rápida e segura.

O fato é que tanto o envio quanto o recebimento de pagamentos on-line por meio do PayPal é uma das formas mais populares que os consumidores utilizam no exterior.

Questões legais

Geralmente, as empresas fazem parcerias com representantes ou distribuidores estrangeiros, reduzindo os gastos com uma operação própria no local. Todavia, antes de assinar contrato é necessário verificar a rede de contatos e a capacidade operacional desse profissional.

Por fim, aproveitar oportunidades e saber lidar sob pressão em um cenário de crise são parte do processo de expansão para outros mercados. Nós esperamos, que com essas importantes informações para seu negócio que procura opções de crescimento e que deseja vender para o exterior, seu negócio chegue ao objetivo de vendas almejado.

Este post foi útil para você? Sabe agora quais cuidados deve ter para vender para o exterior? Então, aproveite para assinar nossa newsletter e receber nossas atualizações em seu e-mail!

fale com um especialista syhusPowered by Rock Convert

Comentários