No meio contábil, muito se fala do regime de caixa e competência, porém, para a grande maioria dos empreendedores, esses termos ainda geram dúvidas. Muitos não sabem o que os métodos de escrituração significam ou quais seus impactos na tomada de decisão dos negócios.

Simplificadamente, quando mencionamos o regime de caixa, estamos citando a parte financeira da empresa, o momento em que será retirado o dinheiro do caixa. Já o regime de competência é um princípio contábil. Ambos são determinantes para o desenvolvimento da empresa porque são as bases para o reconhecimento das despesas e receitas.

Neste post, traremos das principais informações do regime de caixa e competência. Leia atentamente e confira!

O que é o regime de caixa?

Quando se vive no mercado empresarial, é fundamental procurar estratégias que maximizem as oportunidades de lucratividade e rentabilidade. O controle efetivo do financeiro é muito importante para garantir a solvência da empresa.

O regime de caixa diz respeito à movimentação financeira e como ela é aplicada e registrada nas rotinas das organizações. Obviamente, a empresa toda precisa trabalhar para o alcance dos objetivos, contudo, quando se opta pelo regime de caixa, o setor de contas a receber é determinante para o restante do processo.

De forma sucinta, nesse regime de apuração, a empresa pagará os tributos com base nos valores recebidos. Dessa forma, não se corre o risco de pagar os impostos sem ter recebido pelo produto. O fato só será contabilizado quando os recursos estiverem de posse da empresa.

O mesmo conceito é aplicado nas despesas — elas só serão escrituradas no momento em que o pagamento for efetivamente realizado. De modo geral, o regime de caixa é baseado no fluxo de caixa, por isso, qualquer operação que não influencie nessa ferramenta não será utilizada para a apuração do regime.

Vantagens

Entre os principais benefícios do regime de caixa, podemos mencionar o acesso a informações atualizadas, pois ele utiliza de dados no momento da execução das entradas e saídas de dinheiro.

Além disso, ele permite que o gestor retire ou acrescente valor no caixa da empresa sem que exista provisionamentos que devem ser seguidos. Outro aspecto que diferencia o regime de caixa e competência é quanto à real situação da empresa.

Nesse sentido, o regime de caixa apresenta dados mais realistas do quanto a empresa realmente tem e, a partir daí, é possível direcionar as estratégias empresariais. Além do mais, com a alimentação correta das informações, é possível provisionar as entradas e saídas futuras. Assim, o empreendedor pode organizar as rotinas sem comprometer a saúde financeira da empresa.

Outra vantagem dessa opção é a postergação do pagamento dos tributos. Como o embasamento é a entrada de valores no caixa, logo o fato gerador, quando apurado pelo regime de competência, pode ter ocorrido em períodos anteriores.

Desvantagens

A principal ineficiência desse regime se dá na complexidade do controle das receitas. Uma vez que a quantidade de comercialização a prazo é consideravelmente grande, esse controle pode ser difícil para as empresas.

Ademais, é possível que os gestores não consigam mensurar os resultados operacionais. Já que a receita será contabilizada conforme o caixa, pode ser que em determinado mês o saldo seja muito positivo, persuadindo o empresário, pois esse mesmo faturamento deverá financiar as despesas nos meses futuros.

fale com um especialista syhusPowered by Rock Convert

O que é o regime de competência?

Quando falamos em regime de caixa e competência, o segundo está diretamente ligado ao instante em que o fato gerador ocorre.

Quando um produto é vendido, é emitida a nota fiscal e é esse momento que as informações serão encaminhadas para a escrituração fiscal, independentemente de quando a empresa receberá o valor do produto comercializado.

Com isso, se percebe que o fato gerador é mais importante que o fluxo financeiro. Diferentemente do regime de caixa, o regime de competência escritura todos os fatos, mesmo quando eles não alteram o caixa ou equivalentes de caixa.

Quando a empresa opta por esse regime contábil, ela consegue tomar decisões baseadas na Demonstração do Resultado do Exercício (DRE), um valioso demonstrativo contábil que auxilia a gestão financeira da empresa. Esse documento apresenta as principais contas de receitas e despesas e informa se o resultado foi o lucro ou o prejuízo.

A partir desse relatório, o gestor pode visualizar possíveis gargalos que estão sugando a lucratividade da empresa e traçar novas ações que alterarão a sequência de resultados. Ao se questionar sobre o regime de caixa e competência, é necessário averiguar as vantagens e desvantagens de cada um deles.

Anteriormente, visualizamos esses itens sobre o regime de caixa, agora vamos saber quais são as vantagens e desvantagens do regime de competência.

Vantagens

Um dos principais benefícios quando se escolhe essa opção são as informações que ela apresenta aos gestores. Como sua principal representação é a DRE e, nesse relatório constam todas as contas de receitas e de despesas, o empreendedor tem a possibilidade de analisar individualmente cada custo e despesa — e se o preço de venda utilizado está gerando a margem de lucro desejada.

Além disso, ele permite o provisionamento das receitas e despesas, influenciando no montante de valor destinado aos impostos, evitando o pagamento indevido de tributos.

Desvantagens

O principal problema do regime de competência é que ele não auxilia na gestão do negócio, por apresentar números ocorridos pelo fato gerador, e não pela entrada e saída de caixa.

Ainda no que se refere ao caixa, é possível que, em algum momento, os resultados apresentem lucro, mas o caixa esteja debilitado — o que em longo prazo pode afetar todo o funcionamento da empresa.

Como podemos perceber, ambos os regimes têm suas particularidades, por isso é imprescindível uma pesquisa detalhada dos prós e contras de cada um deles. Ainda é necessário contrapor tais informações com os objetivos e atividades desenvolvidas pelo empreendimento.

Vale lembrar que, legalmente, apenas para as empresas sem fins lucrativos, fundações, ONG’s e associações é permitido a utilização do regime de caixa. As demais deverão obrigatoriamente registrar seus eventos pelo regime de competência.

Agora que você sabe o que é e qual a importância do regime de caixa e competência, siga-nos no Facebook, Instagram, YouTube e acompanhe todos os nossos conteúdos!

fale com um especialista syhusPowered by Rock Convert

Comentários