Decisões empresariais fazem parte do dia a dia de qualquer gestor e, quando amparadas em dados e informações inadequadas, podem levar a empresa a seguir um rumo negativo.

As demonstrações contábeis e financeiras são importantes instrumentos de gestão que não correspondem apenas a uma obrigação legal da empresa, mas também permitem uma tomada de decisão mais segura e evitam riscos desnecessários.

A rotina de um empreendimento compreende uma série de obrigações e exigências, de modo a garantir a regularidade do funcionamento do negócio. Pensando nisso, não é raro que profissionais (experientes ou não) utilizem termos variantes de demonstração contábil e financeira para designar documentos, informações e dados de uma empresa. Porém, é comum que muitas pessoas desconhecem o que são as demonstrações contábeis e financeiras e qual a finalidade delas. O grande problema de não saber a resposta para essa pergunta pode causar confusões e, até mesmo, erros no processo de prestação de contas aos órgãos fiscalizadores.

Neste post, você entenderá a importância das demonstrações contábeis e financeiras e por que elaborá-las com atenção deve ser uma prática constante dentro das empresas. Veja a seguir!

Qual a importância das demonstrações?

As demonstrações contábeis são importantes instrumentos de decisão, sendo requeridas em processos de empréstimos, financiamentos e, até mesmo, em licitações e demais operações, devido ao seu grau de transparência e detalhamento. De maneira geral, podemos dizer que as principais informações que existem nas demonstrações contábeis são:

  • o quanto de dinheiro foi investido pelos sócios no negócio;
  • o quanto de endividamento (capital de terceiros) corresponde o capital social da empresa;
  • o faturamento da companhia em determinado período;
  • o quanto desse faturamento foi utilizado para quitar as despesas e ainda gerar lucro;
  • o quanto a empresa possui de imobilizado (imóveis para fins produtivos da organização);

Auxiliando, por exemplo, nas seguintes situações:

  • Projeções para períodos futuros;
  • Análises do crescimento;
  • Melhora a pontualidade dos pagamentos; 
  • Tempo de retorno do investimento inicial;
  • Análise de Burn rate (Velocidade que é “queimado” o valor disponível para uso da empresa);
  • Análise de GMV (Quantidade de transações em reais em um período específico);
  • Preparação dos principais impostos, como IRPJ e CSLL.

As demonstrações contábeis são um conjunto de documentos, exigidos por meio de lei das quais as empresas devem elaborar e transmitir dentro do prazo aos órgãos fiscalizadores. Em geral, são informações que seguem as Normas Brasileiras de Contabilidade e do Comitê de Pronunciamentos Contábeis. Empresas que mantêm a tributação pelo regime de Lucro Real são obrigadas por lei a estarem com seus registros e entregas em dia, de modo a comprovar os resultados da organização.

Mas isso não significa que as demais empresas do Lucro Presumido, Simples Nacional e Microempreendedor Individual não podem utilizar esses documentos para compreender a evolução do capital e o desenvolvimento dos negócios. Tanto podem como devem se valer das demonstrações contábeis e financeiras para uma gestão efetiva.

Para isso, é necessário que as demonstrações contábeis sejam elaboradas e de preferência com sintonia entre empresa e contador, já que somente assim é possível que os números estejam corretos. Todos os demonstrativos são representações numéricas dos acontecimentos da empresa, igualando diferentes informações e respeitando o tempo, ou competência, como nós contadores gostamos de falar. Os principais demonstrativos contábeis/financeiros necessários são:

fale com um especialista syhus

Balanço Patrimonial

Principal “corpo” da empresa, nele vão apresentar valores que a empresa tem disponível em um determinado período de tempo e do que já está certo de acontecer futuramente além de quais obrigações ela tem com terceiros fora da empresa ou para os sócios e investidores, informações de lucros anuais e suas respectivas alocações, como por exemplo o quanto será pago para os sócios, o quanto será utilizado para investimentos futuros e o quanto será alocado para possíveis problemas futuros.

Para isso, ela é composta de dois lados geralmente nomeado por Ativo e Passivo, mas que poderiam facilmente ser interpretado por Direitos e Obrigações, em cada lado existem subgrupos nos quais cada um tem seu caráter informativo, criando o entendimento da proposta da empresa, tempo de liquidez, quem foram os participantes responsáveis pelo desenvolvimento da empresa, e a evolução de bens e obrigações. Uma informação importante é que tanto o lado direito e esquerdo do Balanço Patrimonial devem ter valores iguais. 

Demonstração de Resultado de Exercício (DRE)

Diferentemente do Balanço Patrimonial, que demonstra a evolução dos bens e obrigações de uma organização no decorrer dos períodos, na Demonstração de Resultado de Exercício a finalidade é apresentar separadamente quais foram receitas, despesas e custos do negócio dentro do período de um ano. Outra função além da informativa é calcular os impostos a serem pagos ao Governo, bem como o Imposto de Renda. Além disso, serve como base para saber quais as deduções da receita e chegar ao lucro do negócio.

Demonstração de Fluxo de caixa

Realizar o controle de tudo que entra e sai do caixa da empresa é fundamental. Portanto, a Demonstração de Fluxo de Caixa é uma versão resumida e detalhada de toda essa movimentação, servindo como uma base para o processo de gestão.

É um importante documento para saber onde a empresa está destinando seus recursos e, no caso de participação de terceiros no capital, como está seu grau de endividamento. Uma curiosidade na elaboração dessa demonstração é que ela pode ser feita através das informações do Balanço e da DRE, e não com base nas entradas e saídas reais do caixa.

Portanto, mesmo que não haja uma obrigatoriedade fiscal de entrega para algumas empresas de demonstrativos contábeis, sua elaboração é essencial para que um negócio possa crescer e se desenvolver sustentavelmente.

Demonstrações financeiras

A grande novidade aqui é que não há diferença entre demonstrações contábeis e financeiras. Via de regra, o termo demonstrativo financeiro é utilizado por empresas de capital aberto, mas nada impede que outras companhias possam utilizar essa terminologia.

No entanto, existem alguns documentos que têm uma função especial do termo “demonstrações financeiras”, ou seja, eles servem como controle empresarial e econômico na gestão da empresa.

Vale destacar que todos os documentos contábeis e financeiros devem ser elaborados com base nos Princípios Fundamentais da Contabilidade, é um deles é o da competência. Isso significa que os fatos devem ser lançados nos demonstrativos no momento que ocorram, independentemente do pagamento ter sido à vista ou a prazo, como forma de controlar a disponibilidade de capital da empresa em caixa. Esse controle pode (e deve) ser utilizado como um importante demonstrativo financeiro que, apesar de não ter valor legal, serve de base para decisões que levem em consideração a real situação da empresa.

Portanto, não existe uma fórmula mágica e tampouco uma receita pronta para a elaboração correta das demonstrações contábeis e financeiras. A dica é manter as informações sempre atualizadas e fazer uso de um bom software de gestão, automatizando os processos e tornando tudo mais ágil e seguro. A correta elaboração das demonstrações contábeis e financeiras se torna uma importante base de gestão e decisão de uma empresa. Se você achou esse conteúdo interessante e acredita que pode ser útil também para os seus amigos, compartilhe em suas redes sociais!

 

fale com um especialista syhus

Comentários