A conquista da estabilidade financeira depende, entre diversos outros aspectos, da forma como os erros no fluxo de caixa são tratados. Muitas vezes, o gestor não dispõe de informações confiáveis e, por isso, enfrenta problemas com a tomada de decisão.

Já outras situações estão relacionadas ao endividamento excessivo, o que prejudica a estabilidade financeira. Essa falta de visibilidade gera inúmeros problemas, que começam com a redução da margem de lucro e podem resultar no fechamento do empreendimento. Portanto, é importante contar com informações que ajudam a contornar esse obstáculo.

Para que você tenha uma noção de como o controle diário das finanças é essencial, criamos este artigo que demonstra os principais erros e como é possível solucioná-los. Continue lendo para conhecer todos os detalhes!

O que é um fluxo de caixa?

Em termos simples, esse elemento é considerado o coração da operação de um negócio. Esse é um instrumento que permite analisar as movimentações financeiras em um dado período de tempo. O seu acompanhamento é diário, pois demonstra a circulação do dinheiro da empresa, registrando as entradas e saídas.

Qual é a importância da gestão do fluxo de caixa?

A utilização do fluxo de caixa permite ter controle sobre a situação atual da empresa, bem como ter uma estimativa da movimentação de recursos no futuro. Com isso, o gestor tem a oportunidade de verificar se há excedente ou a falta de caixa antes mesmo que essa situação se concretize.

Essa previsibilidade é essencial para auxiliar o gestor a planejar ações para destinar os recursos ou criar iniciativas para aumentar a entrada de dinheiro. Porém, mesmo nas empresas em que esse processo está bem estabelecido, ainda há erros que podem comprometer a sua eficiência.

Esse cenário acontece com frequência e nem sempre representa um problema de grandes proporções. Porém, uma vez que foi identificado, é essencial corrigir os erros e evitar a sua repetição no futuro.

Quais os principais erros no fluxo de caixa?

Erros de gestão são comuns, porém eles jamais devem se tornar a norma no mercado. Inexperiência e falta de conhecimento sobre gestão financeira são os motivos responsáveis pela criação desse obstáculo. Por isso, é fundamental saber como utilizar o fluxo de caixa a seu favor.

1. Não saber como interpretar as informações

A falta de conhecimento técnico sobre as informações financeiras é um dos maiores desafios para a gestão de um negócio. Inclusive, essa é uma das principais causas do fechamento de novos negócios nos primeiros anos de funcionamento.

A falta de conhecimento resulta na tomada de decisões incompatíveis com a realidade da empresa e que podem afetar os resultados em longo prazo. Sob esse ponto de vista, um dos erros mais comuns tem relação com as vendas a prazo.

Muitos gestores tratam a estimativa de entrada como algo garantido e não percebem que os clientes podem ficar inadimplentes. Isso gera a perda de capital de giro que, na maioria das vezes, não é percebido até o último momento.

A nossa recomendação é buscar conhecimento sobre o tema por meio de cursos, palestras e treinamentos, tanto presenciais quanto on-line.

fale com um especialista syhus

2. Praticar uma política de crédito muito flexível

Nós admitimos que já não é possível fazer negócios sem oferecer a possibilidade de compras parceladas. Contudo, é importante compreender como esse modelo de pagamento afeta a periodicidade da entrada de recursos.

Se você permite que os seus clientes parcelem as compras em até 90 dias, isso fortalece o seu relacionamento. Contudo, se os seus fornecedores, em contrapartida, exigem o pagamento sempre à vista, você pode se encontrar em uma situação de desiquilíbrio.

Esse cenário pode ser corrigido por meio da realização de uma avaliação de crédito em que, se o cliente tiver um bom histórico de pagamento, podem ser oferecidas opções mais flexíveis. Além disso, busque adequar o prazo de recebimento das faturas para, pelo menos, 10 dias antes do vencimento das contas. Isso garante que o caixa da empresa estará com saldo positivo para arcar com os pagamentos.

3. Não lançar todas as movimentações

Na gestão de uma empresa cada centavo conta na hora de equilibrar o fluxo de caixa. Por isso, é dever do profissional da área de finanças registrar todas as movimentações, por mais insignificantes que pareçam.

Até mesmo a cobrança de taxas pode deixar o saldo da conta bancária negativo, o que acarreta taxas e juros referentes ao cheque especial. O fluxo de caixa é um instrumento muito abrangente, que pode ser adaptado para incluir um número detalhado de saídas, desde as contas de luz até o recolhimento de impostos.

Há também campos dedicados ao registro do saldo inicial e final do período a ser analisado. Por isso, é importante estar atento à periodicidade dos lançamentos, para que os resultados reflitam a realidade com precisão.

4. Misturar as finanças empresariais e pessoais

Esse erro é frequentemente cometido por proprietários de pequenos negócios que ainda não estão cientes da importância de separar a personalidade jurídica da pessoa física.

Nós sabemos que parece mais simples pagar a sua fatura do cartão de crédito com dinheiro disponível no caixa da empresa. Porém, todas essas operações devem ser registradas separadamente com o intuito de não ferir o Princípio da Entidade, que prevê que o patrimônio empresarial não pode utilizado para benefício próprio.

Além de causar problemas para fechar a contabilidade, a remuneração dos sócios só pode ser paga após a apuração do saldo disponível. Portanto, é importante eliminar essa prática que gera problemas na gestão do fluxo de caixa.

5. Não acompanhar indicadores financeiros

Apesar da sua relevância, devemos reconhecer que é necessário utilizar outros controles para viabilizar a tomada de decisões. Se você ainda não usa indicadores financeiros, nós sugerimos algumas opções:

  • evolução de custos fixos e variáveis — a sua apuração indica quanto a empresa deve produzir ou comercializar para cobri-los e, ainda, obter a margem de lucro;
  • margem de contribuição — representa quanto a venda de produtos ou serviços contribuirá para que a empresa seja capaz de arcar com os custos e, posteriormente, gerar lucros;
  • ponto de equilíbrio — é a quantidade de receita mínima que a empresa deve atingir para cobrir os custos e pagar as despesas;
  • liquidez corrente — demonstra qual valor a empresa tem para receber em curto prazo se comparado com quanto precisa pagar no mesmo período.

Por fim, gostaríamos de reforçar que, embora, a sua empresa cometa erros no fluxo de caixa, é possível reverter essa situação e conquistar resultados positivos. Aplique as informações listadas neste artigo e utilize esse princípio para ajudar a manter a saúde financeira e a estabilidade do negócio.

Este post mostrou alguns erros que colocam o seu negócio em risco. Quer saber mais? Agora leia sobre a importância de saber calcular o ponto de equilíbrio financeiro!

fale com um especialista syhus

Comentários