A diversidade nas empresas é um assunto cada vez mais frequente no mundo corporativo, e vem se difundindo conforme as mudanças de gerações no mercado de trabalho e no perfil das organizações.

Um exemplo está no surgimento das startups. Essas empresas têm a diversidade como um de seus pilares e características principais. No caso das startups brasileiras, é apontada como uma das ações de inovação exigidas por esse modelo de negócios.

Uma força de trabalho diversificada — seja em idade, em etnia, nacionalidade, gênero, raça ou em qualquer aspecto que nos diferencie uns dos outros — que coloca a visão do time em um lugar de expansão.

Esses pontos de vista são acompanhados por novas perspectivas, que por sua vez contribuem na elaboração de novos produtos, serviços e no desenvolvimento de estratégias de sucesso para atrair e fidelizar clientes.

O tema diversidade nas empresas é significativo e tem vários aspectos que devem ser considerados para que as organizações realmente possam fazer com que essa característica seja parte da sua cultura organizacional e conquiste essas vantagens.

Pensando nisso, preparamos este guia completo sobre o assunto. Aqui, você vai conhecer com mais detalhes o que é a diversidade, sua importância, suas vantagens, os desafios e como promovê-la dentro da empresa. Também apresentaremos alguns dados e pesquisas ao longo do material. Pegue um cafezinho, acomode-se e acompanhe a leitura conosco. Vamos lá!

O que é diversidade nas empresas?

A diversidade nas empresas diz respeito aos ambientes corporativos multiculturais e inclusivos.

Está presente na empregabilidade de indivíduos com uma variedade de características diferentes uns dos outros, como idade, gênero, orientação sexual, raça, etnia, religião, visão política, formação cultural, entre outras questões que os tornam únicos.

Quando o local de trabalho tem a diversidade como parte de sua cultura, essas particularidades são utilizadas de maneira inteligente nos negócios. Ao lado das experiências profissionais e da formação técnica, o que cada pessoa viveu ao longo da vida, em decorrência das suas escolhas e personalidades, pode agregar nas estratégias profissionais.

Além disso, em uma cultura de trabalho inclusiva, todo o processo, desde o primeiro contato com a empresa até um eventual desligamento, deve ser adequado para o objetivo que é a diversidade e inclusão.

Importância da diversidade nas empresas

A diversidade no local de trabalho tem um impacto significativo no engajamento e na produtividade dos times. Consequentemente, pode ser apontada como um dos elementos protagonistas para que um negócio seja bem-sucedido.

Com o surgimento de novas tecnologias voltadas ao mercado corporativo, utilizadas para recrutamento, seleção, reuniões e outras atividades empresariais, é possível alcançar profissionais no mundo todo.

Isso significa que os colaboradores nem sequer precisam morar na mesma cidade que a sede da empresa. O trabalho remoto permite contratar pessoas do mundo todo, o que facilita ainda mais que a força de trabalho seja diversificada.

Empresas que focam na diversidade são capazes de entender melhor as diferenças entre as pessoas ao redor do mundo, usando esse conhecimento para que seus produtos e serviços atinjam uma gama maior de consumidores e clientes.

A diversidade ajuda a empresa a crescer

A diversidade da força de trabalho de uma empresa é fundamental para o seu crescimento, especialmente quando há intenção de expandir o negócio para novos mercados, já que os produtos ou serviços precisam ser adaptados ao público para ter sucesso.

Dito isso, conhecer os costumes locais, a cultura e a personalidade de um povo é tão importante quanto compreender os aspectos legais e tributários do município, estado ou país no qual a empresa vai operar.

Saber como abrir espaço, prospectar, atrair e fidelizar novos perfis é fundamental para que a organização possa prosperar. Empresas que conseguem realizar boas conexões locais se tornam mais competitivas, e a competitividade anda de mãos dadas com a lucratividade e a sustentabilidade para os negócios.

Há várias pesquisas que comprovam as informações trazidas até o momento:

  • McKinsey & Company — empresas com mulheres ocupando cargos de liderança em equipes executivas tem performance superior;
  • Gazeta do povo — ambientes que prezam pela inovação por meio da diversidade garantem melhorias de até 20% nos resultados financeiros em relação a outras empresas;
  • Portal 6 minutos — 80% das decisões de equipes com diversidade etária e de gêneros são bem-sucedidas, enquanto times integralmente masculinos garantem 56%.

5 vantagens da diversidade na empresa

Em geral, essas vantagens são mencionadas em contextos de responsabilidade social e da promoção da marca. No entanto, a diversidade nas empresas tem benefícios que afetam diretamente os resultados do negócio.

Para que você consiga mensurar o quanto a diversidade é significativo para esse crescimento e a sustentabilidade, vamos apresentar os seus principais benefícios. Você vai conhecer como uma equipe diversa está relacionada ao:

  1. crescimento da criatividade e inovação;
  2. sucesso das Estratégias de marketing;
  3. aumento da atração e retenção de talentos;
  4. desenvolvimento de produtos e serviços;
  5. aumento da produtividade e desempenho.

1. Criatividade e inovação

Nossa história, nossas crenças e nossa cultura influenciam a maneira como vemos o mundo. Empresas cuja diversidade é uma das bases da sua cultura organizacional colecionam uma variedade de pontos de vista dentro de um time.

O resultado desse mix de experiências pessoais e profissionais é a composição de uma equipe mais criativa, com pensamentos, ações e ideias inovadoras.

Inovação e criatividade não são importantes apenas para a criação de novos produtos e serviços, essas características também são necessárias para resolver problemas e atender às necessidades dos clientes de maneiras novas e estimulantes.

2. Estratégias de marketing eficazes

O entendimento de várias culturas, junto do conhecimento do mercado local e dos mais variados perfis de público, contribuem para a eficácia das estratégias de marketing.

Conhecimento e percepção específicas para cada mercado é essencial para os designers, produtores de texto e até mesmo os tradutores. Ou seja, um time diverso e multicultural vai ter a sensibilidade de escolher as imagens certas e redigir texto mais adequado e impactante, para que o público se sinta contemplado pela marca.

Mesmo sem intenção, alguns termos ou fotos podem dar muito certo — ou muito errado. A linha entre ofender os consumidores ou fazer um anúncio positivamente memorável é tênue, e um time diverso é capaz de dar conta do recado.

Sendo assim, onde erros de marketing podem causar danos irreparáveis ​​a uma marca ou negócio, construir um time pautado na diversidade é essencial para evitar problemas e aumentar o impacto positivo da marca.

3. Atração e retenção

A competitividade das empresas não se resume aos produtos e serviços oferecidos pelos concorrentes. Negócios — sejam eles do mesmo segmento ou não — estão constantemente disputando os melhores profissionais do mercado.

Investir na promoção de um ambiente multicultural, diverso e inclusivo faz com que as empresas se destaquem em meio a um mercado de trabalho competitivo.

Em linhas gerais, demonstrar que há uma valorização na experiência e na história de vida dos profissionais, independentemente de suas características, desperta o interesse de candidatos em fazer parte desse time. Aqueles que já integram o quadro de colaboradores sentem-se à vontade para continuar e crescer dentro do negócio.

Para atingir esse patamar, não basta contratar profissionais de variados gêneros, religiões e etnias. É necessário que a diversidade faça parte da cultura do negócio, que o respeito mútuo entre os colegas realmente seja praticado e que as políticas de incentivo e benefícios sejam adequadas a esse público.

4. Produtos e serviços

Quando escolhe compor um time culturalmente diverso, as empresas garantem a contratação de profissionais com diversas habilidades diferenciadas — o que não seria possível ao escolher candidatos sempre com o mesmo perfil.

As diferentes experiências, personalidades e pensamentos contribuem para que o brainstorm na hora de desenvolver novos produtos e serviços sejam ainda mais ricos. Como o contexto do mercado atual exige que essas decisões sejam rápidas, adaptáveis e criativas, essa característica contribui para que a empresa abra uma boa vantagem competitiva em relação aos concorrentes.

Uma empresa com diversidade cultural e cognitiva pode ser mais rápida na hora de identificar uma lacuna no mercado, planejando, desenvolvendo e executando novos projetos de maneira acelerada e eficaz.

5. Produtividade e desempenho

Um estudo divulgado pelo portal australiano My Business, a respeito de uma pesquisa realizada em parceria com a Deloitte, identificou que colaboradores de empresas que praticam a diversidade podem apresentar um aumento de até 83% no seu desempenho.

A união das experiências, conhecimentos e métodos de trabalho de profissionais com as mais diversas origens e características podem aumentar consideravelmente a capacidade de resolução de problemas e levar a uma maior produtividade.

fale com um especialista syhus

Parte do sucesso em relação à produtividade e o desempenho se dá pela competição saudável criada pela diversidade. Como os profissionais são incentivados a dar a sua contribuição e compartilhar suas experiências, a empresa se beneficia com grandes volumes de ideias.

Novas ideias quando lapidadas se transformam em estratégias de sucesso. E como os profissionais percebem suas contribuições se transformarem em ações, dão o melhor de si para tornar esses projetos viáveis.

Todas essas ações e reações formam um ciclo positivo, incluindo produtividade, desempenho e sucesso.

Os benefícios da diversidade também ultrapassam os portões das empresas. Tudo o que é aprendido dentro da organização se reflete nos relacionamentos dos colaboradores fora do ambiente de trabalho.

Desafios da diversidade nas empresas

Embora a diversidade traga os diversos benefícios apontados ao longo deste texto, líderes e gestores devem se preparar para os desafios trazidos ao implementar essa cultura. Conheça os principais obstáculos a serem gerenciados.

1. Aceitação e respeito

Para que a empresa consiga aplicar a diversidade, é necessário que os colaboradores se respeitem. Para isso, devem aceitar o próximo. A falta de aceitação pode gerar conflitos, e os conflitos se transformam em problemas de comunicação, de convivência e até mesmo em situações de violência verbal e física.

A aceitação promove o respeito mútuo e evita essas situações. Por isso, é necessário investir em programas de treinamento em diversidade, que permitam que os colaboradores compreendam, aceitem e respeitem as diferenças uns dos outros.

2. Crenças

Há um ditado que diz que política e religião não se discute. Esses assuntos podem se transformar em motivos para conflitos em diversos ambientes, inclusive no trabalho.

Os colaboradores precisam ser lembrados de que não devem impor suas crenças ou desrespeitar a visão do outro. Quando houver qualquer conversa sobre o assunto, que seja para expressar cada ponto de vista de maneira respeitosa.

3. Diferenças étnicas

Infelizmente, ainda existem alguns indivíduos que têm preconceito contra pessoas de diferentes origens étnicas.

O racismo ainda está presente na sociedade brasileira e no ambiente corporativo. A revista VC S/A expõe alguns dados:

  • a taxa de desemprego de pessoas negras é de 16,1%, enquanto de brancos não chega a 12%;
  • em São Paulo, apenas 4% dos cargos de liderança são ocupados por pessoas negras;
  • o salário de homens brancos pode ser até 159% superior ao de mulheres negras para o mesmo cargo.

Outra matéria, publicada no G1, afirma que 60% dos negros já sofreram racismo no ambiente de trabalho. A estrutura de trabalho que, em sua maioria, contempla apenas homens brancos e a discriminação sofrida estão intimamente relacionadas.

Preconceito e discriminação nunca devem ser tolerados. As políticas internas contra o racismo devem ser rígidas, tanto em relação às consequências sofridas pelos agressores, quanto aos programas de conscientização.

5. Limitações físicas

O conceito de diversidade começou a se tornar popular com a contratação PCD. A lei n° 8.213, de 1991, conhecida como Lei de Cotas, estabeleceu a contratação de colaboradores com deficiência mediante o número de profissionais empregados. Veja o que diz o Art. 93:

“A empresa com 100 (cem) ou mais empregados está obrigada a preencher de 2% (dois por cento) a 5% (cinco por cento) dos seus cargos com beneficiários reabilitados ou pessoas portadoras de deficiência, habilitadas, na seguinte proporção:

I – até 200 empregados……………………………………………………………………………….2%;

II – de 201 a 500…………………………………………………………………………………………3%;

III – de 501 a 1.000……………………………………………………………………………………..4%;

IV – de 1.001 em diante. ……………………………………………………………………………..5%.”

Para se adequar a legislação, não basta fazer a contratação. É necessário que o ambiente esteja adequado para a chegada dessas pessoas — tanto na estrutura, como no posicionamento dos colegas de trabalho.

Por exemplo, se você contratar um profissional surdo, pode fornecer um treinamento em libras para o pessoal. Também é importante conscientizar as pessoas sobre essa deficiência, para que aprendam a lidar com ela.

6. Conflitos de geração

O encontro de diferentes gerações no mercado de trabalho podem acabar em conflitos. O período em que nascemos e crescemos influencia nossos comportamentos e ideias. Por isso, algumas pessoas mais velhas podem ser mais intolerantes em relação a alguns aspectos, enquanto as mais novas são mais flexíveis e abertas.

Essa diferença pode ser um problema na hora de expor ideias, desenvolver novas estratégias, produtos e serviços. Além disso, a formação das chamadas panelinhas podem fazer com que alguns colaboradores se sintam exclusivos e isolados.

Para manter a integração, o respeito e a colaboração, a empresa deve criar uma cultura de comunicação que ajude a preencher essas lacunas. Por sua vez, os líderes devem observar atentamente a equipe e agir antes do problema acontecer.

Como promover a diversidade?

Até aqui, muito foi falado sobre as vantagens da diversidade e a necessidade de fazer com que essa característica faça parte da cultura organizacional e das políticas do negócio.

Agora, chegou a hora de descobrir de que formas ela pode ser implementada e promovida dentro da empresa. Separamos nossas sugestões em 3 grandes áreas:

  1. recrutamento e seleção;
  2. políticas;
  3. comunicação.

Vamos aprender um pouco mais? Confira!

1. Diversidade no recrutamento

O recrutamento e a seleção de candidatos baseados na diversidade é quando a empresa se baseia nas competências, habilidades e experiências do candidato para a contratação.

Isso significa que as vagas não são direcionadas a um sexo específico, ou a uma faixa etária. Além disso, é preciso garantir que os processos seletivos sejam isentos de preconceitos relacionados à idade, raça, sexo, religião, orientação sexual e outras características pessoais do candidato e que não se relacionam ao seu desempenho no trabalho.

Confira alguns passos para promover a diversidade no recrutamento e seleção dos candidatos:

  • escolha uma métrica para melhorar sua contratação por diversidade, como, por exemplo, aumentar o número de transexuais na empresa em 2%;
  • também é possível ser ainda mais específico — aumentar o número de mulheres nos times de ti em 12%;
  • nos anúncios, evite usar muitas palavras no masculino, como por exemplo “procuramos um profissional que (…) — prefira contemplar os dois gêneros ”procuramos um ou uma profissional que (…)”;
  • mostre aos candidatos que a empresa preza pela diversidade, publique fotos do ambiente de trabalho no site corporativo e nas redes sociais, de modo que apareça os atuais colaboradores;
  • busque por softwares ou consultorias de recrutamento e seleção que tenham experiência e know hall para a contratação pautada na diversidade.

2. Diversidade nas políticas da empresa

Como mencionamos, a diversidade nas empresas não é apenas questão de contratar colaboradores de diversos gêneros, etnias e outras características que os diferenciam uns dos outros. Ela deve fazer parte da cultura da organização, em sua forma mais profunda. Para isso, é necessário que suas políticas internas sejam orientadas para a diversidade.

Nesse processo, revisar essas políticas com sensibilidade para notar e compreender se o ambiente realmente é propício para um time diverso e multicultural é o pontapé inicial para promover a diversidade no negócio. Veja como isso pode ser feito:

  • desenvolva e implemente processos inclusivos, amigáveis ​​e inovadores como horários flexíveis, licença paternidade, atividades de integração e lazer;
  • reavalie os benefícios aos colaboradores, certifique-se de que são adequados aos diferentes perfis da empresa e que todos estejam se sentindo contemplados por eles;
  • forneça treinamentos orientados à diversidade, como, por exemplo, palestras e discussões pertinentes aos assuntos — o objetivo é estimular o respeito ao próximo e ensinar como lidar com as diferenças.

3. Diversidade na comunicação da empresa

A forma na qual a empresa se comunica — seja com o público interno, seja com o público externo — demonstra se ela é adepta ou não à diversidade e ao multiculturalismo. Assim como nas políticas empresariais, de nada adianta contratar um time diverso se isso não é expresso em sua comunicação. Conheça como isso pode ser trabalhado:

  • organize eventos e atividades que celebrem as diferenças dos colaboradores, como, por exemplo, comemorando ou instituindo feriado no dia da consciência negra;
  • organize um blog ou videoblog corporativo onde os colaboradores que fazem parte dos grupos considerados como minorias possam contar um pouco da sua vida e sua rotina;
  • mantenha o compromisso da sua empresa com a diversidade em destaque no site corporativo, na aba “trabalhe conosco”, nas fotos e no descritivo sobre missão, visão e valores do negócio;
  • apresente fotos e citações de diversas pessoas nos materiais online, incluindo personalidades símbolos de algumas lutas — como frida kahlo — colaboradores e clientes que se identificam com essa política;
  • crie um canal de comunicação interna dedicado ao tema diversidade — pode ser atrelado ao videoblog ou aos eventos que sugerimos anteriormente;
  • incentive o trabalho voluntário em organizações que atendem às necessidades das minorias — por exemplo, entidades que visam ajudar transexuais e travestis que foram expulsos de suas casas ou não conseguiram concluir seus estudos por serem vítimas de preconceito e exclusão.

Chegamos ao final do nosso artigo sobre diversidade nas empresas! Como você pôde perceber ao longo de todo o material, não estamos falando de uma tendência, algo passageiro para que a marca fique bem posicionada em relação aos concorrentes.

Mais do que isso, falamos de pessoas, de direitos, em uma política empresarial, onde a diversidade faz parte da cultura organizacional e deve estar incrustada na identidade da organização. Ela se torna a essência do negócio, fundamental para a prosperidade nos mais variados aspectos.

Cada membro da equipe, desde a liderança até os profissionais da linha de frente, trazem suas próprias origens, experiências e perspectivas que podem fazer a marca decolar. A diversidade nas empresas, em muitos casos, pode ser o segredo para o sucesso. Portanto, invista!

Falando em sucesso, esteja sempre informado sobre os ingredientes necessários para essa receita. Assine a nossa newsletter e receba informações pertinentes sobre o assunto.

fale com um especialista syhus

Comentários