Um negócio bem-sucedido começa com uma boa ideia — criativa, inovadora e, principalmente, viável. A viabilidade é uma característica em comum entre startups de sucesso, fazendo com que o estudo de viabilidade seja uma prática fundamental no planejamento de um novo negócio.

Especificamente, a viabilidade refere-se à capacidade de um modelo de negócios gerar receita suficiente para cobrir os custos fixos e operacionais da venda do seu produto ou serviço. Muitas startups acabam falhando porque esses produtos ou serviços custam mais do que aquilo que as pessoas estão dispostas a pagar por elas.

Tem uma ideia genial e quer garantir que tudo dê certo? Então dê uma olhada no material que preparamos sobre a viabilidade e comece um negócio com o pé direito.

O que é um estudo de viabilidade?

Em síntese, fazer um estudo de viabilidade econômica é avaliar se uma determinada ideia pode dar certo ou não. Por meio desse recurso, é possível perceber se os projetos podem ser rentáveis e vão, de fato, impactar a empresa.

Também funciona para a abertura de uma empresa. Afinal, o principal objetivo do estudo de viabilidade é prever ou antecipar situações boas e ruins que podem ser enfrentadas na execução do projeto. A partir destes resultados, será possível conquistar investidores que se sintam seguros em apostar nessa ideia.

Um estudo de viabilidade completo e eficiente envolve a análise de uma série de elementos, como:

  • análises do mercado no geral e dos produtos ou serviços comercializados pela empresa;
  • capital de giro;
  • concorrência;
  • diferenciais competitivos;
  • faturamento.
  • fluxo de caixa;
  • mão de obra necessária;
  • payback;
  • projeção de custos e investimentos;
  • receita;
  • rentabilidade;
  • taxa interna de retorno;
  • tendências do ramo de atuação;
  • ticket médio;
  • valor presente líquido.

O conjunto desses e outros indicadores financeiros deixam o cenário mais nítido para o empreendedor. Dessa forma, ele pode definir as estratégias mais adequadas ao seu projeto, tomando decisões seguras e bem fundamentadas.

É importante salientar que o estudo de viabilidade não é uma ferramenta simples de ser utilizada. O levantamento, conferência e interpretação dos relatórios contábeis é uma tarefa complexa e que deve ser realizada por um especialista. Ou seja, é fundamental contar com o trabalho de um contador.

A utilização desse recurso vale a pena, afinal, todo investimento deve ser feito com segurança. No caso das startups que ainda não nasceram, ele evita que uma ideia aparentemente inovadora se transforme em uma grande dívida. Além disso, contribui para conquistar aportes e investimentos.

Quando o estudo tem como objetivo a aplicação em uma empresa que já está em operação, além de evitar problemas, também contribui para que o empreendedor não prejudique a sua imagem no mercado.

Diante disso, é muito importante manter os registros financeiros sempre atualizados e acompanhar esses números de perto, pois essa é a melhor forma de fazer o cálculo seguro do valuation.

Por que fazer um estudo de viabilidade?

De acordo com um estudo feito pelo Bureau of Labor Statistics dos EUA (BLS), só 25% das empresas sobrevivem por mais de 15 anos no mercado. Aproximadamente 20% dos negócios quebram nos primeiros dois anos, 45% nos primeiros cinco e 65% não chegam a completar uma década.

O estudo de viabilidade é um dos caminhos que possibilitam construir uma empresa sustentável, que faça parte dos 25% e ajude a aumentar essa porcentagem.

Veja os principais passos que devem ser seguidos na criação de uma startup e entenda melhor porque é tão importante contar com uma pesquisa de mercado bem feita.

Investigar o mercado

Negócios criados sem um estudo de viabilidade já começam falhando desde o início. É muito comum que as pessoas tenham boas ideias pensando em inserir um novo produto em um mercado já competitivo.

No entanto, o caminho deve ser outro. É preciso encontrar uma necessidade inicial ou não atendida e procurar preencher essa lacuna por meio de um produto, ou serviço de qualidade. Pensando de maneira prática, é mais fácil satisfazer uma necessidade do que criar uma e convencer as pessoas de que não vivem sem ela.

Fazer um planejamento sólido e realista

Um planejamento sólido e realista é a base de um negócio de sucesso. Na hora de elaborar o desenho da empresa que está nascendo, é necessário descrever metas, caminhos para atingir esses objetivos e possíveis problemas e soluções.

No planejamento é hora de descobrir todas as questões pertinentes a abertura do negócio por meio de pesquisas, seus custos, os insumos necessários e real viabilidade da sua ideia. Também é aqui que são descritas as estratégias e os cronogramas que devem ser implementados e cumpridos.

Depois da elaboração, é preciso colocar em prática o que está no papel. Por exemplo, se você começar a dobrar seus gastos ou mudar suas estratégias sem embasamento e estudo, é possível que caminhe para o fracasso.

Correr atrás do financiamento

O estudo de viabilidade permite que você assuma uma posição realista desde o início do negócio. Além de poder planejar melhor os seus custos, também fica mais fácil atrair o interesse dos investidores a partir de dados sólidos.

Investir em ações digitais

Hoje em dia, a posição que uma empresa ocupa na internet e a força da marca nas mídias sociais é tão ou mais importante, que à localização física do negócio.

Se você já identificou a necessidade do público e o planejamento do negócio está ok, a disponibilidade e a visibilidade digital da sua empresa são o próximo passo importante. Esse passo também deve ser bem-planejado, já que não dá só para garantir que o marketing chegue às pessoas e sim chegar ao público certo. Ou seja, as ações devem estar alinhadas ao perfil do público-alvo.

Monitorar o mercado

Depois de fazer o planejamento, estruturar o seu negócio e conquistar os primeiros clientes, não significa que o trabalho para erguer um startup chegou ao fim.

Monitorar o mercado é fundamental para se prevenir de possíveis dificuldades e alterar o plano de negócios quando necessário, sem perder a qualidade. Além disso, contribui para que a empresa acompanhe as principais tendências do mercado.

Agir com cautela em relação à expansão

Agora que sua empresa está estabelecida e bem-sucedida, é hora de expandir. No entanto, é preciso ter consciência de que a expansão deve ser tratada como o início de um novo negócio.

A expansão de uma startup deve ser muito cautelosa. Quando uma empresa se expande muito rápido e não toma o mesmo cuidado com a pesquisa, as estratégias e o estudo de viabilidade está fadada ao esgotamento financeiro, que pode afundar todo o modelo de negócio.

Banner calculadora de precificação

 

Quais são as métricas que devo acompanhar?

Para que o estudo de viabilidade seja eficiente e o empreendedor possa garantir suas vantagens, é necessário ficar atento aos principais elementos que devem ser acompanhados.

Viabilidade técnica

Se sua startup estiver apresentando um novo produto ou serviço, o estudo de viabilidade técnica vai determinar se a ideia é viável. Essa parte deve acompanhar as seguintes questões do mercado:

  • como proteger o produto ou serviço da concorrência?
  • o produto ou serviço já está à venda? Caso contrário, a que distância está de um mercado existente?
  • quais recursos são necessários para sua produção e fornecimento?
  • quais são os padrões regulamentares que envolvem o produto ou serviço e seu uso?
  • quais são os pontos fortes do produto ou serviço?
  • quais são os principais benefícios para clientes ou usuários?
  • qual é a capacidade da organização para adquirir esses recursos?

As perguntas acima podem ser usadas quando você estiver introduzindo um novo produto em uma empresa já existente ou iniciando as operações de uma startup.

Avaliação do mercado

Essa métrica é voltada para a análise do preço de venda do produto ou serviço comercializado pela startup. Por isso, é necessário acompanhar:

  • as empresas que já atuam no segmento, seus pontos fortes e fracos;
  • o que impulsiona o padrão de compra do público-alvo;
  • os clientes em potencial e quantos existem;
  • possíveis concorrentes e onde os produtos da concorrência são vendidos — incluindo empresas que não operam mais.

Esses elementos ajudam a determinar a vantagem competitiva do negócio ou do novo produto. Também é importante para que a startup possa expandir seus serviços, realizando estudos de viabilidade não só para a criação mas também para o desenvolvimento da empresa.

Viabilidade comercial

A viabilidade comercial é um elemento do estudo focado na probabilidade de sucesso comercial. Dessa forma, ela mede se os novos negócios ou produtos e serviços podem gerar lucro o suficiente. Sendo assim, suas métricas de avaliação devem ser pautadas nas seguintes perguntas:

  • as operações exigem investimentos e financiamentos externos?
  • quais são os pontos de sensibilidade para o seu negócio em termos de vendas?
  • quais são os pontos fortes e fracos do seu negócio?
  • quais são os possíveis volumes de vendas do produto ou serviço?
  • qual é a estrutura de preços que você usará?
  • qual é o ROI?
  • quanto dinheiro é necessário para começar a operar?
  • quanto tempo sua empresa pode sobreviver sem uma venda?

Embora os pontos acima sejam importantes principalmente para novos negócios, se você estiver adicionando uma nova linha de produtos aos seus negócios, use as perguntas acima como um guia para entender descobrir a viabilidade financeira do novo produto.

Avaliação geral de riscos

A avaliação de riscos também é uma métrica muito importante e fundamental tanto para a sustentabilidade de um negócio, como para angariar novos investimentos.

A parte geral da avaliação de risco de um estudo de viabilidade examina as diferentes maneiras pelas quais sua organização pode reduzir o risco de iniciar a nova ação. Portanto, deve responder às seguintes perguntas:

  • quais são os principais riscos associados à operação?
  • quais são as melhores maneiras de minimizar esses riscos?
  • qual é a perspectiva de sobrevivência para cada um dos riscos acima?

O objetivo é criar um mapa de avaliação de riscos, que lide com a probabilidade dele acontecer e o impacto que ele teria nos negócios.

Viabilidade de compra de um negócio existente

Embora esse não seja uma métrica relevante para todos os tipos de negócio, ele é importante para o ponto de vista do investidor. Saber o que os investidores consideram é fundamental para realizar estudos de viabilidade eficientes.

Lidar com os impactos da aquisição de um novo negócio não é relevante apenas para novos negócios, mas também para a aquisição de societários e planejamento de estratégias de expansão e crescimento.

Em síntese, o objetivo geral da viabilidade de novos negócios é revelar se a compra de uma empresa existente ou investimento inicial de uma startup vale a pena. Por isso, a avaliação deve contemplar:

  • como a competitividade causa impactos negativos ao negócio;
  • em casos de desempenho insatisfatório, quais são os reais motivos;
  • em casos de desempenho satisfatório, quais os reais motivos para a venda de todo o negócio;
  • os motivos que levaram a venda de uma parte do negócio ou da empresa como um todo;
  • quais são as vantagens e desvantagens da estrutura física;
  • qual é a avaliação dos ativos incluídos na venda, como equipamentos, time de colaboradores, relação com fornecedores, entre outros.

Como fazer um estudo de viabilidade?

Antes de qualquer coisa, é preciso entender o que classifica um investimento como uma boa ideia. Seria apenas uma projeção positiva da sua rentabilidade? Um mercado ainda não explorado?

Essa pergunta não tem apenas uma resposta. Quando um investidor começa a procurar uma empresa para aplicar o seu dinheiro ou diversificar a sua carteira de clientes, a análise realizada não é tão simples. Ou seja, é preciso estimar o valor real da empresa, baseado em uma série de elementos — como mencionamos no início deste material.

Investir em uma startup ou captar investimentos é uma tarefa que tem ficado cada vez menos complicada. As pessoas estão cada vez mais interessadas em ver o seu dinheiro render acima da poupança, por isso, quanto mais abrangente for o cálculo do valuation, menos dificuldades o empreendedor vai ter para captar investimentos.

Do outro lado, aqueles que querem investir e não empreender podem aplicar as suas economias com mais segurança.

Dito isso, conheça as principais etapas para realizar um estudo de viabilidade eficiente antes da criação de uma startup.

Realizara uma análise preliminar

O objetivo principal da análise preliminar é rastrear as ideias do projeto antes que tempo, esforço e dinheiro sejam investidos. Aqui, é necessário ter dois aspectos bem definidos:

  • descrição sobre os serviços que serão prestados pela startup, público-alvo, mercado de atuação, características exclusivas da empresa, da maneira mais específica o possível;
  • determinar os possíveis obstáculos e identificar se existe algum desafio impossível de ser vencido, inviabilizando totalmente a ideia ou minimizando suas chances de sucesso.

Se as informações coletadas até o momento indicam que a ideia tem potencial, pode seguir com os próximos passos.

Preparar a projeção da renda

A receita esperada deve cobrir os custos diretos e indiretos, considerando a projeção da curva de crescimento. Uma boa pesquisa de mercado é crucial para que essa avaliação seja realista e deve envolver:

  • as tendências da população, características demográficas, fatores culturais e poder de compra na comunidade em que o público-alvo da startup está localizado;
  • os serviços concorrentes neste mesmo espaço, para determinar seus principais pontos fortes e fracos. Os fatores a serem considerados incluem preços, linhas de produtos, fontes de referência, localização, atividades promocionais, qualidade de serviço, lealdade e satisfação do consumidor e vendas;
  • estimar a participação de mercado esperada e possíveis oportunidades de expansão.

Planejar as operações comerciais

Nesse ponto, a organização e as operações da empresa devem ser planejadas com profundidade suficiente para determinar a viabilidade técnica e os custos envolvidos na inicialização, investimento fixo e principais processos operacionais. O planejamento deve envolver:

  • ações de marketing;
  • definir se os produtos serão exclusivos ou franqueados;
  • despesas gerais e relacionadas ao regime tributário;
  • disponibilidade da cadeia de suprimentos, como, por exemplo, a tabela de preços de fornecedores;
  • disponibilidade e custo de pessoal, como a folha de pagamento;
  • equipamentos necessários;
  • localização e estrutura física no geral.

Preparar um balanço prévio para a abertura do negócio

Prepare uma lista de ativos necessários para operações práticas. A lista deve incluir item, fonte, custo e métodos de financiamento disponíveis. Os ativos necessários incluem tudo, desde dinheiro necessário para capital de giro a estrutura física.

O cálculo deve refletir os ativos e com a maior precisão possível no momento em que a prática começa, antes de gerar receita. Por isso, deve considerar:

Revisar e analisar todos os dados

Uma vez que todas as etapas anteriores foram concluídas, é hora de fazer uma revisão geral dos dados coletados e avaliar se as expectativas projetadas realmente estão alinhadas com a realidade.

Além disso, é preciso avaliar riscos. Ou seja, pensar no que pode dar errado e de que forma essas projeções podem ser afetadas.

Tomar a decisão

Todas as etapas anteriores foram destinadas a fornecer dados para facilitar o processo de tomada de decisão. Se a análise indicar que a empresa deve gerar pelo menos a renda mínima desejada e tem potencial de crescimento, é hora de ir atrás dos investidores.

Quais os principais tipos de avaliação feitas por investidores?

Saber os principais tipos de avaliação realizados pelos investidores pode facilitar os relatórios feitos a partir do estudo de viabilidade. Quando você sabe o que podem considerar antes de fazer um investimento, fica mais simples prever alguns cenários.

Pensando nisso — e também como uma forma de compreender melhor o conceito do estudo de viabilidade — trouxemos uma breve explicação sobre as 2 avaliações mais populares. Acompanhe.

1. Avaliação pré-monetária

Avaliar uma startup que ainda não está em operação é muito diferente de analisar um projeto voltado a uma empresa que já existe. O motivo é muito simples: negócios que ainda não estão em funcionamento não tem receita para ser avaliada.

A análise quantitativa e as projeções financeiras nem sempre preveem o sucesso futuro da startup em estágio inicial. Nesse sentido, a equipe de empreendedores pode avaliar o posicionamento e conhecimento dos empreendedores e gestores. Tudo isso para reduzir os riscos.

2. Método do Capital de Risco

O Método do Capital de Risco trabalha para resolver a avaliação pré-monetária de uma startup, e costuma fazer uma projeção de quatro a sete anos. No entanto, exige a atualização dos resultados por meio da conversão, já que o valor das moedas oscila com o passar do tempo.

Sendo assim, o Método do Capital de Risco pesquisa as vendas médias de empresas estabelecidas dentro do mesmo setor, durante o período escolhido para a projeção. Aqui, as principais perguntas feitas pelos investidores são:

se eu investir hoje, quanto eu vou lucrar com esse investimento no período de projeção escolhido? Esses números estão de acordo com a proposta do empreendedor?

O que influencia no valuation de uma startup?

Como você pôde perceber, não são apenas os números que influenciam o estudo de viabilidade de uma empresa. Há outros fatores que refletem o valuation de uma startup:

  • a estratégia inicial;
  • a visão e o conhecimento do empreendedor sobre o próprio negócio e o mercado de atuação;
  • o produto desenvolvido ou serviço que será prestado;
  • o time escolhido para gerenciar o negócio.

A visão e o conhecimento do empreendedor é um dos aspectos mais importantes avaliados pelos investidores por um motivo bastante simples: quanto mais domínio ele tem sobre o mercado de atuação, maiores são as chances de atingir os objetivos propostos pela empresa.

Ao ter clareza sobre as suas metas, consequentemente, as estratégias criadas serão mais adequadas. Para isso, é preciso contar com o apoio de uma equipe integrada, produtiva, eficiente, criativa e focada.

Sendo assim, o estudo de viabilidade pode ser voltado tanto para os empreendedores, como investidores. No entanto, não é um trabalho fácil, já que exige conhecimento, histórico financeiro organizado e visão de mercado.

A complexidade da avaliação e as normativas estabelecidas na legislação para assinatura de relatórios faz com que o trabalho do contador seja fundamental. O processo pode ser agilizado por meio da contabilidade online.

Você está no time das pessoas que tem uma grande ideia e quer desenvolver uma startup em cima dela? Acesse nosso e-book e confira como dar início aos registros da nova empresa.

fale com um especialista syhus

Comentários