Nos últimos anos, a inovação e a tecnologia estão crescendo surpreendentemente. O mercado de startups aproveita para entrar nesse cenário, e todos os dias surgem novas empresas.

Entretanto, por mais que exista um grande volume de startups, ainda é singela a quantidade das que conseguem tocar o seu negócio e conquistar a tão esperada sustentabilidade, isto é, tornar-se uma scale-up.

A transformação digital motivou o surgimento acentuado das startups, cujos modelos de negócios são naturalmente implementáveis e viabilizam a entrada de novos players em suas próprias áreas de atuação.

Porém, na prática, não é todo gestor que consegue o resultado esperado imediatamente, pois tem que lidar com vários desafios com o intuito de se destacar no seu setor. É nesse cenário que as scale-ups podem motivar o empresariado!

Pensando nisso, preparamos um guia completo, para que você tire todas as suas dúvidas a respeito das empresas scale-ups. Acompanhe!

1. O que é uma scale-up?

A scale-up é uma empresa que se desenvolve baseada em um modelo de negócio escalável. Isto é, é uma instituição que eleva sua atividade sem elevar seus gastos, criando, dessa forma, um crescimento constante e sustentável.

Scale-ups são as organizações que tratam das principais tendências de gestão e tecnologia para se alicerçar no mercado, independentemente da competitividade do ramo.

A verdade é que elas são poucas, representando aproximadamente 1% do total de empresas do país, e podem auxiliar na motivação de novas técnicas de investimento e gestão para a sua companhia.

Possivelmente, você não sabe muito a respeito das scale-ups, pois essa é uma expressão ainda não muito usada no Brasil. Porém, em primeiro lugar, você precisa saber que o termo especifica as organizações que estão introduzidas no nicho de instituições com um índice alto de crescimento.

As scale-ups estão praticamente sempre acima da média do mercado. A maximização do seu lucro é enorme, de modo que seu produto ou serviço tenha condições de crescer sozinho.

Outro ponto essencial que você deve saber é que as scale-ups não se desenvolvem apenas com relação aos lucros e às suas finanças.

Atualmente, elas são o modelo econômico que mais geram empregos no Brasil. Essas organizações são responsáveis por gerar cerca de 50% dos novos empregos.

Dois parâmetros comuns às scale-ups dos mais diferentes setores são: capital de giro e possibilidade de escala na área operacional.

O primeiro elemento é autoexplicativo, devido ao fato de que qualquer organização precisa possuir capital de giro, próprio ou de terceiros, a fim de fundamentar o atendimento a uma carteira de clientes que cresce surpreendentemente.

Já com relação à possibilidade de escala, pode ser da estrutura de distribuição da solução ou do serviço ou produto em si.

Um ótimo exemplo é que, se o produto for um software pelo qual os clientes pagam a assinatura todo mês, a empresa concede mais licenças todos os meses e contrata profissionais de sucesso do cliente e suporte a cada determinada quantidade de novos licenciamentos.

Agora, se a scale-up for um e-commerce, a capacidade de ordenação deve ser utilizada na cadeia de fornecedores, no comercial, no marketing e nos fretes.

Em comparação com o exemplo anterior, é uma estrutura mais ampla e complexa, mas permite o crescimento escalável caso haja capital ou financiamento, além de uma administração guiada por resultados e escalabilidade em todas as áreas.

Diferentemente das startups, as scale-ups são organizações mais maduras, diversas daquelas com muitos anos de existência, que acham um modelo de negócios mais estruturado e, por esse motivo, continuam se desenvolvendo significativamente.

Porém, nem toda empresa que apresenta esse crescimento regular pode ser vista como uma scale-up. Para tal, é preciso que o modelo de negócios seja sustentável, isto é, deve ter uma escalabilidade por si só, e não ficar dependendo de elementos externos.

Outra peculiaridade desse tipo de organização é a preocupação frequente com o impacto que a empresa tem na sociedade, como modo de retribuir o sucesso de sua jornada.

2. Quais os impactos das scale-ups para a economia atual?

Com enorme potencial de criar empregos e impactar positivamente a produtividade e o desempenho econômico de um país, as scale-ups estão no universo empreendedor da nova economia.

Grande parte delas estão inseridas na construção civil ou no varejo, dois dos ramos mais importantes da economia brasileira.

Porém, é possível achar essas organizações em todos os outros ramos, como bens de consumo, alimentação, transporte, entre outros.

A verdade é que as scale-ups estarão sempre à frente quando o maior desafio mundial não for mais ter que controlar a disseminação da Covid-19, mas sim retomar a economia do país.

As scale-ups serão tão importantes quanto as equipes médicas têm sido para combater a pandemia.

Após a crise financeira do ano de 2008, cerca de 92% dos empregos foram gerados pelas scale-ups — essa estreita modalidade de organizações que são muito grandes para serem chamadas de startups, mas que ainda não chegaram ao status de grande empresa.

São essas as empresas com a capacidade e a mentalidade de retomar a economia na velocidade de que necessitamos, quando for possível sair dessa situação de isolamento.

O obstáculo é que não há tantas scale-ups no globo. Contudo, 11 mil empresas startups eram abertas em todo o mundo a cada hora, antes da pandemia.

Não necessitamos de novas organizações, mas é preciso que elas cresçam. A verdade é que não temos scale-ups suficientes.

Existe a seguinte questão: as scale-ups não fazem parte do objetivo de grande parte dos governos e não têm recebido todo o suporte necessário para conseguir sobreviver a essa crise.

Estávamos acompanhando diversas tecnologias exponenciais chegando ao seu pico ao mesmo tempo — realidade aumentada, inteligência artificial, realidade virtual, biotecnologia e várias outras.

Existiam milhares de empresas produzindo essas tecnologias e atuando na implantação delas.

Até que surgiu a Covid-19 e afetou a realidade de todos. Apesar disso, é necessário ter um plano. As tecnologias exponenciais estão impactando todas as indústrias ao longo do mundo, e isso vai trazer trilhões de dólares para o comércio internacional.

Criará também um novo tipo de investidores e empreendedores: pessoas trabalhando em infraestrutura conectada para formar novas propostas de valor que mudarão o modo como vivemos.

3. O que diferencia uma scale-up de uma startup?

É muito comum que as pessoas confundam esses dois termos. Porém, há algumas diferenças entre eles. Confira a seguir.

3.1. Validação do produto no mercado

A diferença mais evidente entre uma scale-up e uma startup é a adaptação do seu produto no mercado. Enquanto as startups estão ainda experimentando itens, como segmentação e custos de conquista de clientes, ou testando produtos diferentes para conseguir determinar seu público-alvo, as scale-ups já legitimaram essas hipóteses, confirmando que suas unidades são sustentáveis economicamente.

Ou seja, as scale-ups sabem muito bem que, se colocarem X no empreendimento, terão em troca Y. Esse nível de entendimento possibilita que elas utilizem sua receita com mais confiança, para permanecerem no modelo que já estão seguindo, só que em uma escala ainda maior.

Em contrapartida, as startups ainda não conseguem saber, com certeza, qual tipo de retorno terão com seu negócio. Assim, grande parte do seu capital financeiro é direcionado à experimentação.

Isto é, procurar descobrir o que realmente funciona. Para a maioria das startups, esse processo de descoberta demora, normalmente, pelo menos um ano.

3.2. Aversão ao risco

Outra diferença relevante é que, quanto maior o negócio, maior o medo de se arriscar. Por exemplo, uma startup que apresenta um produto não validado, uma base pequena de clientes e tração zero não tem muito a perder caso se veja diante de um investimento para colocar em prática uma ideia mais ousada.

No início, o sucesso de uma organização depende de sua capacidade de girar de forma ágil em resposta aos dados, comentários e ideias recebidas.

Em contrapartida, os clientes, investidores e membros do time agora aguardam aumentos de escala, para otimizar os resultados de forma rápida.

O fato é que, quanto mais lucro se ganha, mais cuidadosa a organização tem que ser no que tange à experimentação de novos mercados.

3.3. Definição das funções da equipe

Ao longo dos estágios iniciais do desenvolvimento da empresa, é comum que os membros da equipe se responsabilizem por inúmeras funções. Além disso, a maioria das startups contrata colaboradores com um conjunto de aptidões específicas para uma dada função, mas também deseja que eles sejam proativos em outros desafios que surgirem, a fim de desenvolver sistemas, estratégias e processos desde o início.

fale com um especialista syhus

A scale-up se orienta para seu crescimento, todavia, é essencial limitar as atividades das equipes. Isso, na prática, quer dizer transformar o time de vendas e marketing em dois setores distintos, ou contratar profissionais para cada atividade em todas as áreas da organização.

Por exemplo, um bom contador para cuidar de toda contabilidade e de todas as atividades financeiras da empresa, como baixa de boletos, contas a pagar e a receber, relatórios, emissão de boletos e emissão de notas fiscais. Afinal de contas, para crescer, uma scale-up deve se concentrar na procura por bons profissionais.

3.4. Fase de financiamento

Devido ao fato de as startups e scale-ups estarem em estágios de crescimento diferentes, não é de se espantar que elas também se encontrem em etapas distintas de financiamento.

Geralmente, as startups têm financiamento zero ou diversas vezes estão em sua primeira rodada de investimento.

Quando se inicia a segunda rodada, essas startups, normalmente, já passaram da primeira fase e estão mais amadurecidas.

Caso a empresa possa fornecer aos seus possíveis investidores uma equipe confiável, mais validação do que um MVP e uma grande oportunidade de mercado, possivelmente ela está bem perto de se tornar uma scale-up.

3.5. Papel da liderança

Para uma organização que está iniciando suas atividades, a liderança necessária é totalmente diferente da exigida para uma empresa mais madura. Em resumo, quanto mais ela cresce, mais pessoas terá que gerenciar.

Por mais que a gestão de uma equipe de cerca de 10 profissionais seja totalmente possível para alguns gestores, supervisionar uma equipe maior pode ser muito complicado.

Conforme os departamentos vão crescendo e mais colaboradores entram em cena, há mais chances de erros ao delegar projetos de uma função para a seguinte.

Caso não consiga gerenciar esses novos desafios da forma correta, você terá rotatividade de colaboradores, e a produção será reduzida. Por essa razão, as expansões geralmente agregam novos líderes com experiência em gestão corporativa.

4. O que fazer para tornar a empresa uma scale-up?

Agora, confira as nossas dicas para que a sua empresa consiga se tornar uma scale-up!

4.1. Trabalhar com sócios de confiança

Pode ser uma tarefa muito desafiadora achar alguém que compre seu sonho, mas caso você não tenha ao seu lado pessoas em quem possa confiar de olhos fechados, existem enormes chances de essa parceria não funcionar.

O fato é que cerca de 3/4 dos empreendedores de sucesso se vincularam a pessoas com quem já tinham trabalhado antes, aumentando muito a confiança entre os sócios.

4.2. Começar com algo que você já conhece

Apesar de ser tentador procurar pelo mercado que mais cresce no momento de iniciar um empreendimento, geralmente, essa não é a melhor ideia. Existe um filme chamado Joy que fala sobre a história de uma mulher que desenvolve um produto baseado na sua experiência.

Ele é um ótimo exemplo do que estamos falando: inicie o negócio por alguma área que você já esteja familiarizado e somente depois explore novos setores da economia.

4.3. Procurar boas fontes de investimentos

Apesar de o sonho ser seu, isso não significa que só você tem que bancá-lo. Busque outras fontes! Podem ser familiares, bancos, fundos de investimento etc. Cerca de 94% dos empreendedores de sucesso buscam por múltiplas maneiras de financiamento.

4.4. Saber gerir pessoas

Um bom gestor ajuda a empresa não somente no momento de vender o sonho da equipe, mas também na hora de escolher quais são as melhores estratégias para cada etapa do negócio, especialmente nas que apresentam crescimento mais acelerado.

Destaca-se que aproximadamente 73% dos empresários de sucesso acreditavam ter boas habilidades de gestão. Os recursos humanos apresentam grande destaque no desenvolvimento da scale-up, e é primordial que você utilize soluções de RH para manter elementos como treinamento, satisfação de colaboradores e mais.

Uma ótima opção para o RH é investir em um sistema de gestão de pessoas que seja automatizado. Apesar de não substituir as funções estratégias do setor, ele ajuda muito nos procedimentos do dia a dia.

4.5. Trocar experiências

É muito importante reunir-se com os seus funcionários periodicamente e realizar trocas de experiências. Os profissionais que já trabalharam em outras organizações, por meio dessa atividade, podem compartilhar as suas vivências (baseadas em um tema predefinido) e, dessa forma, agregar mais à cultura organizacional.

Vamos imaginar a seguinte situação: vocês querem qualificar o plano de benefícios da organização. Ao reunir-se com outros funcionários para essa atividade, o RH pode sair da reunião com insights muito valiosos para utilizar internamente, com base nos tipos de perfil dos seus profissionais e na inteligência cultural da empresa.

4.6. Ter coragem para evitar fracassos

O fato é que empreender não é uma tarefa muito fácil. Geralmente, é necessário ter coragem para encarar o que vem pela frente.

O modo como os empresários enfrentam o fracasso também influencia bastante nas chances de a empresa se tornar uma scale-up. Ao ter resiliência, o empreendedor fica mais forte e aprende com seus erros.

4.7. Começar pequeno, mas sonhar grande

No início, foque em fazer sucesso e se consolidar na sua região, porém, jamais deixe de pensar no seu futuro. O fato é que cerca de 80% dos empreendedores de sucesso iniciaram seu negócio em escala regional e só depois expandiram para outras localidades.

É essencial sempre pensar em um plano de expansão, afinal, estudos revelam que as organizações internacionalizadas têm mais chances de se tornarem scale-ups.

Sonhar grande faz toda a diferença! A percepção dos empresários de sucesso sobre a crise era totalmente inversa à de outras organizações.

Enquanto grande parte dos empreendedores culpam a crise por seu negócio não crescer, as scale-ups buscam pontos de melhoria, pois acham que são seus próprios gaps que atrapalham o seu crescimento.

As scale-ups são ousadas e ambiciosas, mas é importante não confundir esse aspecto com inconsequência e impulsividade.

Por meio de um bom planejamento estratégico e total consciência do mercado, a sua empresa pode atuar para manter-se em desenvolvimento sem que loucuras sejam cometidas no trajeto.

As organizações precisam sempre antecipar as oscilações do mercado, e não somente reagir a elas. É aí que surge a importância de contar com uma equipe multidisciplinar e muito focada nos objetivos profissionais, assim como sua empresa é.

Lembre-se: seus colaboradores são o motor e o leme do desenvolvimento da organização.

4.8. Ter flexibilidade

Os planos de marketing e de negócios são itens essenciais, porém, eles não são instrumentos que devem engessar os seus processos.

Afinal, organizações flexíveis conseguem prever as novas demandas e, dessa forma, geram diferenciais competitivos com mais eficiência e agilidade.

Não é à toa que as scale-ups são chamadas também de “empresas do futuro”, que se adéquam às mudanças com fluidez, a fim de que elas mantenham a sua identidade e consigam ter novos resultados com essas transformações.

4.9. Ser persistente

O conceito de scale-up está ligado à inovação também, pois empresas desse tipo geram um ciclo de trabalho otimizado e mais curto. Isso engloba o tempo entre ter uma boa ideia e realizar a sua implementação.

Isto é, é muito importante ter ousadia e, principalmente, a persistência para se levantar se o resultado inicial não tiver correspondido às expectativas.

É essencial conhecer não somente a sua empresa, mas o seu mercado e também a concorrência. Mesmo as instituições mais ousadas realizam ações baseadas em dados que testificam as suas estratégias.

Todavia, isso não elimina a relevância de saber como se levantar, aprender com os erros e fazer ainda melhor na próxima vez.

5. Quais as características das scale-ups no Brasil?

O fato é que o Brasil não é uma grande fonte de empresas scale-ups, por mais que essas organizações desenvolvam um papel primordial na economia nacional.

Conforme afirma o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), existem cerca de 35 mil scale-ups em todo país, o que corresponde a menos de 1% do total de empresas do Brasil.

Contudo, essa pequena fatia de organizações foram responsáveis por gerar mais de 3.3 milhões de novos empregos no Brasil nos últimos anos — representando, aproximadamente, 60% do total de vagas criadas em nosso país.

Além disso, as scale-ups geram cerca de R$ 250 bilhões para a economia do país, ou seja, quase 5% do PIB total do Brasil. Grande parte das empresas que mais cresceram nos últimos 5 anos em solo brasileiro são consideradas no patamar de scale-ups. Assim, elas são, de fato, as empresas que mais se desenvolveram no Brasil em 2019.

Essas organizações buscam manter o ritmo de crescimento, além de estarem em frequente contato com os clientes para identificarem quais melhorias podem ser implementadas em seus serviços e produtos. O fato é que a inovação contínua é um dos elementos essenciais dos empreendimentos scale-ups.

Como vimos, é extremamente importante conhecer muito bem o funcionamento das scale-ups. Devido à sua capacidade de gerar riqueza e valor a uma taxa mais acelerada, uma empresa scale-up é interessante como oportunidade para diversos investidores. Esse modelo de negócios já está disponível, então, não fique parado!

É necessário agarrar as chances que aparecerem nesse mercado exponencial em que nos encontramos. Caso contrário, as empresas concorrentes passarão na sua frente, e você ficará para trás. As scale-ups são, de fato, as empresas do futuro, e o futuro já está presente!

Então, você curtiu nosso post? Conseguiu entender o que são as scale-ups?Agora, aproveite para entrar em contato com a Syhus e saiba como gerenciar sua empresa da melhor forma possível!

fale com um especialista syhus

Comentários